terça-feira, 31 de julho de 2012

Renato Amary e Pannunzio são 'Ficha Limpa'


Ambos confirmam a candidatura; Iara e Raul Marcelo aguardam julgamento. Prazo da Justiça vence domingo



Não deu em nada o chumbo trocado entre os integrantes da coligação “Amor e respeito por Sorocaba” (que foi o primeiro a pedir o impedimento da candidatura de Renato Amary) e “Sorocaba do bem” (que deu o troco e também pediu o impedimento da candidatura de Pannunzio).

Nesta segunda-feira (30) à tarde, o site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) publicou o deferimento (autorização) das duas candidaturas e manteve o status de “aguardando julgamento” para as candidaturas de Iara Bernardi (PT) e Raul Marcelo (PSOL). É uma questão de tempo o deferimento das candidaturas deles e isso acontece até este domingo, o prazo dado pelo TSE para julgar todos os processos. O julgamento de Amary e de Pannunzio saiu antes, pois os dois foram contestados.

A decisão da justiça eleitoral acaba com a dúvida em torno de Amary e de Pannunzio serem Ficha Limpa ou não. Para ser enquadrado no Ficha Limpa, os candidatos precisam ser enquadrados em três crimes: terem lesado o patrimônio público, terem tido enriquecimento ilícito e terem sido condenados num tribunal colegiado. Nenhum deles se enquadra neste perfil.

A expectativa a partir de agora é que a campanha eleitoral,  que está autorizada desde 6 de julho, enfim, pegue fogo. Os comentários são de que tanto Pannunzio, quanto Amary, estavam, como se diz na gíria, com a faca no pescoço por terem a chance de terem as candidaturas indeferidas. Agora, com a autorização, eles devem mandar fazer os famosos “santinhos” e inundar as ruas. Além disso, vão providenciar anúncios em jornais, contratar pessoas para chacoalhar bandeiras, colocar placas nos cruzamentos das avenidas e providenciar os carros de som. Com isso tudo, o clima deverá mudar e ganhar os ares festivos de toda eleição. Nunca uma campanha esteve tão comportada em Sorocaba.
5 de agosto 
Data em que todos os pedidos originários de registro, inclusive os impugnados, deverão estar julgados pela Justiça Eleitoral. Se houver algum tipo de recurso ele será encaminhado o TRE (Tribunal Regional Eleitoral). Espera-se que a campanha ganhe a rua após essas decisões
6 de agosto
Os partidos políticos e os candidatos são obrigados, durante a campanha eleitoral, a divulgar, pela rede mundial de computadores (internet), relatório discriminando os recursos em dinheiro que tenham recebido para financiamento da campanha e os gastos que realizaram
8 de agosto
Prazo final para os partidos e coligações preencherem as vagas remanescentes para as eleições proporcionais (vereador), no caso de as convenções não terem indicado o número máximo previsto. Partidos sem coligação podem ter até 30 candidatos. Já os coligados o número pode ser 40
21 de agosto
Início do período para propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão (art. 47, Lei 9.504/97, caput). Ainda não se sabe o tempo que cada coligação vai ter. Mas as coligações com mais partidos provavelmente tenham mais tempo na televisão e no rádio para mostrar as propostas
21 de agosto
Data a partir da qual todos os recursos sobre pedido de registro de candidatos devem estar julgados pela Justiça Eleitoral e as respectivas decisões publicadas. Se houver algum tipo de recurso será levado ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A decisão pode sair até depois das eleições
1º e 2º TURNO DAS ELEIÇÕES 2012
Em 7 de outubro, os eleitores vão votar para um prefeito e para um vereador. Se não houver candidato a prefeito que obteve metade dos votos mais um, haverá 2º turno em 28 de outubro. Para vereador, serão eleitos os mais votados dentro das coligações que atingirem o coeficiente eleitoral correspondente a um vereador. Estima-se que neste ano seja necessário 15 mil votos para um partido eleger um vereador
AMARY E PANNUNZIO SÃO FICHA LIMPA
A decisão dos processos dos candidatos a prefeito Antônio Carlos Pannunzio  (PSDB) e Renato Amary (PMDB), que tiveram pedidos de impugnação, saiu ontem no site da TSE e os juízes se manifestaram pelo deferimento (autorização) das duas candidaturas, excluindo eles de qualquer carimbo de “ficha suja”
Trunfos para ganhar a eleição
Antônio Pannunzio
Além de sua história na vida pública, tem o apoio do prefeito Vitor Lippi, o que significa a máquina administrativa e o que está sendo feito na atual gestão
Iara Bernardi
Nunca esteve no Poder Executivo, mas é a mais experiente legisladora da Câmara Municipal de todos os postulantes. A presença em sua campanha da presidente Dilma e do ex-presidente Lula pode ajudá-la
Raul Marcelo
Sua juventude, visão de mundo e a virgindade do seu partido são aliados  na tentativa de convencer o eleitor que faz parte da nova geração de político que se forma na cidade
Renato Amary
Suas duas administrações como prefeito de Sorocaba e o fato de ter conseguido o apoio de 14 partidos para a  candidatura. O que quer dizer mais tempo de TV e cabos eleitorais, afinal dos 444 candidatos a vereador, 240 estão coligados a Amary

Justiça suspende nomeações de concursos públicos em Sorocaba, SP


Aprovados nos três últimos concursos públicos não serão nomeados.

Eliminação por avaliação psicológica motivou ações públicas.

Do G1 Sorocaba e Jundiaí
Comente agora
Duas liminares que suspendem a nomeação de candidatos aprovados nos três últimos concursos públicos realizados pela prefeitura de Sorocaba (SP) foram concedidas pela Justiça do Trabalho. Os cargos dos concursos são de inspetor de alunos, auxiliar de educação, professor de educação básica II, supervisor de ensino, diretor de escola, vice-diretor e guarda civil municipal de 2ª classe (editais 11/2011, 14/2011 e 18/2011).
O Ministério Público do Trabalho (MTB) moveu ações civis públicas solicitando a anulação da segunda etapa dos concursos, devido à eliminação de candidatos por meio de avaliação psicológica, critério subjetivo que não pode ter cunho eliminatório, segundo previsão constitucional.
Até que as ações sejam julgadas, as liminares concedidas pelos juízes da 3ª Vara do Trabalho de Sorocaba suspendem as nomeações de servidores.
Em ambas as ações movidas pelo MPT, é pedido que haja a anulação da avaliação psicológica realizada nos candidatos habilitados e a suspensão desta prática nos concursos públicos realizados pela prefeitura.
Em nota, a Secretaria de Negócios Jurídicos disse que vai cumprir com a determinação da Justiça, mas vai recorrer da decisão.

PM é morto com 4 tiros ao chegar em casa em Cubatão


Josmar Jozino

do Agora
Cubatão - O soldado da Polícia Militar Edimilson da Conceição Jesus, 42 anos, foi assassinado com quatro tiros às 20h30 de anteontem, em Cubatão (56 km de SP). O autor dos disparos fugiu.
Segundo a Polícia Civil, esse foi o quarto ataque a PMs na Baixada Santista nos últimos 35 dias.
Nas outras três ações distintas, dois policiais morreram e um ficou ferido.
Conceição estava de folga e voltava da casa da mãe em seu Palio. Ele desceu do carro para abrir a porta de sua casa, na Vila Esperança.

Justiça manda, mas mercado não dá sacola biodegradável


Tatiana Cavalcanti

do Agora
As sacolinhas de plástico biodegradável e as de papel não foram distribuídas gratuitamente nos supermercados ontem, quando passou a valer uma ordem da Justiça que obriga quatro grandes redes a fornecer esse tipo de embalagem.
Em vez disso, unidades dos grupos Pão de Açúcar, Carrefour, Walmart e Sonda distribuíram as sacolinhas de plástico comuns e pouco resistentes.
As sacolinhas plásticas retornaram aos supermercados devido a uma ação judicial da Associação Civil SOS Consumidor contra a Apas (Associação Paulista de Supermercados) e os quatro grupos supermercadistas citados.
A Justiça havia dado 30 dias para o início da distribuição das sacolas biodegradáveis. O prazo acabou anteontem.
A reportagem do Agora esteve em uma unidade de cada rede e verificou que elas distribuíam as sacolas de plástico, mas cobravam até R$ 0,59 pelas biodegradáveis, maiores e mais fortes.
Resposta
A Apas (Associação Paulista de Supermercados) diz que orienta seus associados desde o dia 26 a cumprir a decisão da Justiça e sugeriu a distribuição no prazo de 48 horas.
O Walmart afirma que recebeu a notificação depois dos outros e que tem até a semana que vem para se adaptar.
O Carrefour diz que todas as lojas já receberam a nova opção de sacolinha descartável, e que estará disponível aos clientes a partir de hoje.
O Grupo Pão de Açúcar, do Extra, diz que já fez o pedido de sacolas biodegradáveis, mas que algumas lojas ainda não as receberam.
O Sonda não respondeu. Nenhum dos supermercados comentou a fragilidade das sacolinhas distribuídas atualmente.

Conselhos dão rendimento de até R$ 86 mil a secretários



Léo Arcoverde e Rafael Italiani
do Agora
A atuação em conselhos de empresas vinculadas ao governo de São Paulo garantiu a secretários da gestão Geraldo Alckmin (PSDB) rendimentos de até R$ 86,5 mil em junho.
Esse valor foi recebido pelo titular da Fazenda, Andrea Sandro Calabi.
O rendimento corresponde ao salário dele --R$ 14.980-- somado a um bônus por resultado de R$ 4.400, além de R$ 33.588 de participação nos lucros da Cesp (Companhia Energética de SP) e da grana recebida por integrar outros cinco conselhos.
Os valores dos rendimentos de Calabi e de todos os servidores estaduais estão disponíveis desde sexta-feira no Portal da Transparência Estadual.
Resposta
A Secretaria da Fazenda disse que a remuneração do secretário Andrea Sandro Calabi "inclui sua remuneração do mês de junho, acrescida da parcela da bonificação por resultados, paga trimestralmente, além da participação nos lucros e dividendos da Cesp".
Segundo a pasta, o rendimento mensal atende aos requisitos legais, inclusive com a aplicação do limite relativo ao teto salarial do Estado.
A assessoria do governo do Estado disse que os critérios para a escolha de conselheiros de empresas são "técnicos", como notório conhecimento do setor de atuação da empresa, de economia, finanças e legislação, bem como experiência em administração pública e privada.
Segundo a assessoria, a presença de pessoas da confiança do governador nos conselhos de administração "decorre da necessidade de a empresa receber do Estado, seu controlador, a orientação para sua conduta".

Universitários de classe média são presos por sequestros relâmpagos no Brooklin


Entre os detidos também está a mãe de um dos acusados, que, segundo a polícia, recebeu do filho um Honda Fit com placas clonadas


Camilla Haddad, de O Estado de S.Paulo
De dia, eram vistos como universitários estudiosos, faziam estágio em escritórios de grandes empresas e mantinham uma vida acima de qualquer suspeita. À noite, praticavam sequestros relâmpagos no Brooklin, na zona sul da capital paulista. Esse é o perfil de uma quadrilha que a polícia prendeu, acusada de praticar mais de 40 sequestros naquela região neste ano.
Um dos suspeitos é funcionário de uma empresa de advocacia quase vizinha do 96.º Distrito Policial (Brooklin). Ao todo, estão detidos sete jovens, com idade entre 18 e 21 anos. Outros nove estão sendo procurados, com pedidos de prisão já decretados pela Justiça. Segundo o delegado titular do 96.º DP, Eduardo Camargo Lima, pelo menos quatro estão matriculados em universidades tradicionais da capital, em cursos como Administração de Empresas e Engenharia. Também tinham um padrão de vida de classe média. Na maioria dos casos, os pais pagavam a faculdade e alguns deles tinham carros novos.
"São moradores da zona sul. Um deles, de Santo Amaro, tinha a casa toda cercada por sistema de câmeras e os pais não acreditavam que o filho poderia estar envolvido em um crime", contou o delegado. Lima explicou que a investigação ganhou força em abril, com a prisão do estudante Bruno Rodrigues Guedes de Jesus, de 19 anos, que seria o chefe do bando e é apontado como coordenador de 19 sequestros relâmpagos no bairro desde janeiro. Jesus continua preso.
Foi a partir dele que investigadores chegaram até Vitor Mendes de Lima, de 20 anos, Lucas Fernandes, de 18, Michael Douglas, de 19, Raphael Guilherme dos Santos, de 21, Temístocles de Souza Oliveira, de 21, e William Santos Goes, de 21. O grupo agia após as 18h, quando eles saíam do trabalho. O alvo preferido eram mulheres - segundo a polícia, teriam menos chances de reagir.
Assim que abordavam as vítimas, os criminosos usavam uma arma. Batiam no vidro e seguiam com a pessoa por ruas do bairro, enquanto outra parte da quadrilha, em outro carro, era responsável pelos saques e compras em shopping. Em uma das ocorrências, os criminosos gastaram R$ 7 mil em compras.
Os itens escolhidos eram sempre roupas e tênis de grife. Houve casos em que a quadrilha gastou em uma hora R$ 600 em compras em um mercado da região. Na lista de produtos aparecem energéticos e uísques. "Quando não eram compras, eles usavam o dinheiro do saque para alugar casas de praia para fazer festas", comenta o delegado Lima. Depois de circular com as vítimas, a quadrilha as abandonava na Marginal do Pinheiros, próximo das Pontes do Morumbi e João Dias.
Mãe presa. Entre os detidos está uma mulher identificada como Fabiana, que seria mãe de um dos rapazes procurados. Segundo a polícia, ela teria recebido um Honda Fit do filho e continuado com o carro. O veículo era um carro clonado. Ela vai responder em liberdade.
Com exceção de um dos acusados, os advogados não foram localizados. A quadrilha foi reconhecida pelas vítimas por fotos em 30 casos.
Os acusados:
Vitor Mendes Rodrigues de Lima, de 20 anos
Segundo a polícia, cursava 3º ano de Engenharia na Anhembi-Morumbi e era estagiário da Camargo Correa - procurada pela reportagem, a empresa negou. O preso frequentava casas noturnas da zona sul da cidade. Foi preso por investigadores na frente do local de trabalho, na região da Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini.
Lucas Fernandes, de 18 anos
Segundo a polícia, era estagiário no escritório de advocacia Miguel Neto - o escritório informou ontem que não podia confirmar a informação. Mora no Jardim Macedônia, na zona sul.
Michael Douglas, de 19 anos
Segundo a polícia, ele estava fazendo Administração de Empresas na Unip. Teve prisão preventiva decretada. Mora no Parque Regina, na zona sul.
Temístocles de Souza, de 21 anos
Morador do Parque Arariba. Segundo a Polícia Civil, era estudante de Mecatrônica na Unip e permanece internado - foi baleado na hora da detenção.
Raphael Guilherme dos Santos, de 21 anos
Estava trabalhando em um escritório da região do Brooklin, na zona sul.
William Santos Gois, de 21 anos
Foi preso juntamente com Temístocles em 18 de julho.
Bruno Rodrigues Guedes, de 19 anos
Estudante, foi preso em abril deste ano por policiais civis do Brooklin. Investigadores afirmam que ele liderou pelo menos 19 casos de sequestros relâmpagos na região.

Venezuela compra aviões da Embraer


AE

A compra de 20 aviões da brasileira irá compor empresa de aviação venezuelana, em um negócio que pode chegar a R$ 1 bi


Lisandra Paraguassu, de O Estado de S. Paulo
O governo da Venezuela vai assinar na terça-feria, 31, a compra de 20 aviões Embraer 190 AR para recompor a Conviasa, empresa de aviação regional do país, em um negócio que pode chega a R$ 1 bilhão. O valor final, no entanto, só deverá ser anunciado amanhã, depois da reunião bilateral entre a presidente Dilma Rousseff e o venezuelano Hugo Chavez.
O anúncio do negócio foi feito em dezembro de 2011, durante a visita da presidente Dilma Rousseff a Caracas para a Cúpula dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), mas foi concretizado apenas agora. Na época, a expectativa era de que o negócio saísse em dois meses.
No início deste ano, Chavez anunciou que negociava um crédito de R$ 800 milhões com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social para comprar os aviões. No entanto, o governo brasileiro não confirmou se o crédito foi concedido.

Segundo dia de blecaute na Índia deixa 670 milhões sem energia


Apagão foi constrangimento para o governo, que luta para reanimar o crescimento econômico


Reuters
NOVA DÉLHI - Metade da população de 1,2 bilhão de pessoas da Índia ficou sem energia na terça-feira, 31, à medida que a rede elétrica que cobre cerca de 12 Estados caiu, no segundo maior blecaute em dois dias e um constrangimento para o governo em um momento que luta para reanimar o crescimento econômico.
Blecaute foi o pior em mais de uma década - AFP
AFP
Blecaute foi o pior em mais de uma década

Estendendo-se de Assam, próximo da China, aos Himalaias e ao deserto do Rajastão, a queda de energia foi a pior a atingir a Índia em mais de uma década.
Trens ficaram parados em Calcutá e Délhi e milhares de pessoas saíam dos abafados metrôs da capital quando o moderno sistema subterrâneo parou de funcionar na hora do almoço. Prédios comerciais mudaram seus geradores para combustível diesel e o tráfego nas rodovias ficou congestionado.
"Teremos que esperar por uma hora ou uma hora e meia, mas até lá estamos tentando restaurar o metrô, a ferrovia e outros serviços essenciais", afirmou o ministro de Energia, Sushilkumar Shinde, a repórteres.
Mais de 12 Estados com uma população total de 670 milhões de pessoas ficaram sem energia, com a iluminação cortada mesmo nos principais hospitais em Calcutá.
Shinde culpou alguns Estados pelo colapso no sistema que estavam usando mais do que a sua parte de eletricidade da já sobrecarregada rede elétrica. A terceira maior economia da Ásia sofre com uma insuficiência energética de 10 por cento nos horários de pico, pesando sobre o crescimento econômico.
As redes de energia do sul e oeste do país forneciam energia para ajudar a restaurar os serviços, informou as autoridades.
O problema foi agravado por uma fraca temporada de monções nos Estados agricultores, como o cinturão de trigo de Punjab e Uttar Pradesh, nas planícies do Ganges, que tem uma população maior que o Brasil. Com menos chuvas para irrigar as plantações, mais fazendeiros recorrem a bombas elétricas para retirar água de poços.

Rebeldes sírios atacam sedes governamentais em Alepo


Regime diz que matou 400; Rússia inclui país na lista dos que se encontram em 'conflito armado'


DAMASCO - Os insurgentes do Exército Livre Sírio (ELS) atacaram nesta terça-feira, 31, várias sedes governamentais, entre elas um escritório da Segurança do Estado, em Alepo, disse uma testemunha à Agência Efe.
Rebeldes atacaram edifícios governamentais - Efe
Efe
Rebeldes atacaram edifícios governamentais
Os rebeldes "atacaram com granadas e armas automáticas" os edifícios governamentais, relatou a testemunha por telefone, que acrescentou que os insurgentes realizaram ataques similares no centro da cidade, capital econômica do país.
Por outro lado, uma fonte militar disse à Efe que as forças do regime sírio mataram 400 supostos terroristas e detiveram outros 150 na mesma cidade, no norte do país.
Conflito armado
O Governo russo incluiu a Síria na lista de países que se encontram em situação de "conflito armado", informou hoje o site oficial do Conselho de Ministros da Rússia.
Anteriormente, o país árabe integrava a lista de Estados em situação sociopolítica complicada, relação da qual foi eliminada junto ao Sri Lanka e à República Centro-Africana.
A decisão do Governo russo coincide com o recrudescimento dos combates em Aleppo, a segunda maior cidade da Síria, onde se enfrentam desde o último fim de semana tropas do regime do presidente Bashar al-Assad e a oposição armada.
O vice-ministro das Relações Exteriores russo, Gennady Gatilov, expressou sua preocupação pela situação nesta cidade do norte da Síria, próxima à Turquia, e criticou a imprensa por uma suposta parcialidade na cobertura dos combates. "A situação em Aleppo é realmente crítica. E se pode ver como a imprensa interessada tenta fazer com todas suas forças aquilo que a oposição não consegue", escreveu o vice-ministro russo em sua conta no Twitter.
No último sábado, as forças leais ao regime de Damasco iniciaram uma ampla ofensiva militar para expulsar de Aleppo o opositor Exército Livre Sírio (ELS), em uma luta que os insurgentes batizaram como "a mãe das batalhas".
Pelo menos 50 pessoas faleceram na cidade desde o início da ofensiva, segundo a oposição, enquanto cerca de 200 mil habitantes fugiram da zona.
 

Universitários de classe média são presos por sequestros relâmpagos no Brooklin


Entre os detidos também está a mãe de um dos acusados, que, segundo a polícia, recebeu do filho um Honda Fit com placas clonadas


Camilla Haddad, de O Estado de S.Paulo
De dia, eram vistos como universitários estudiosos, faziam estágio em escritórios de grandes empresas e mantinham uma vida acima de qualquer suspeita. À noite, praticavam sequestros relâmpagos no Brooklin, na zona sul da capital paulista. Esse é o perfil de uma quadrilha que a polícia prendeu, acusada de praticar mais de 40 sequestros naquela região neste ano.
Um dos suspeitos é funcionário de uma empresa de advocacia quase vizinha do 96.º Distrito Policial (Brooklin). Ao todo, estão detidos sete jovens, com idade entre 18 e 21 anos. Outros nove estão sendo procurados, com pedidos de prisão já decretados pela Justiça. Segundo o delegado titular do 96.º DP, Eduardo Camargo Lima, pelo menos quatro estão matriculados em universidades tradicionais da capital, em cursos como Administração de Empresas e Engenharia. Também tinham um padrão de vida de classe média. Na maioria dos casos, os pais pagavam a faculdade e alguns deles tinham carros novos.
"São moradores da zona sul. Um deles, de Santo Amaro, tinha a casa toda cercada por sistema de câmeras e os pais não acreditavam que o filho poderia estar envolvido em um crime", contou o delegado. Lima explicou que a investigação ganhou força em abril, com a prisão do estudante Bruno Rodrigues Guedes de Jesus, de 19 anos, que seria o chefe do bando e é apontado como coordenador de 19 sequestros relâmpagos no bairro desde janeiro. Jesus continua preso.
Foi a partir dele que investigadores chegaram até Vitor Mendes de Lima, de 20 anos, Lucas Fernandes, de 18, Michael Douglas, de 19, Raphael Guilherme dos Santos, de 21, Temístocles de Souza Oliveira, de 21, e William Santos Goes, de 21. O grupo agia após as 18h, quando eles saíam do trabalho. O alvo preferido eram mulheres - segundo a polícia, teriam menos chances de reagir.
Assim que abordavam as vítimas, os criminosos usavam uma arma. Batiam no vidro e seguiam com a pessoa por ruas do bairro, enquanto outra parte da quadrilha, em outro carro, era responsável pelos saques e compras em shopping. Em uma das ocorrências, os criminosos gastaram R$ 7 mil em compras.
Os itens escolhidos eram sempre roupas e tênis de grife. Houve casos em que a quadrilha gastou em uma hora R$ 600 em compras em um mercado da região. Na lista de produtos aparecem energéticos e uísques. "Quando não eram compras, eles usavam o dinheiro do saque para alugar casas de praia para fazer festas", comenta o delegado Lima. Depois de circular com as vítimas, a quadrilha as abandonava na Marginal do Pinheiros, próximo das Pontes do Morumbi e João Dias.
Mãe presa. Entre os detidos está uma mulher identificada como Fabiana, que seria mãe de um dos rapazes procurados. Segundo a polícia, ela teria recebido um Honda Fit do filho e continuado com o carro. O veículo era um carro clonado. Ela vai responder em liberdade.
Com exceção de um dos acusados, os advogados não foram localizados. A quadrilha foi reconhecida pelas vítimas por fotos em 30 casos.
Os acusados:
Vitor Mendes Rodrigues de Lima, de 20 anos
Segundo a polícia, cursava 3º ano de Engenharia na Anhembi-Morumbi e era estagiário da Camargo Correa - procurada pela reportagem, a empresa negou. O preso frequentava casas noturnas da zona sul da cidade. Foi preso por investigadores na frente do local de trabalho, na região da Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini.
Lucas Fernandes, de 18 anos
Segundo a polícia, era estagiário no escritório de advocacia Miguel Neto - o escritório informou ontem que não podia confirmar a informação. Mora no Jardim Macedônia, na zona sul.
Michael Douglas, de 19 anos
Segundo a polícia, ele estava fazendo Administração de Empresas na Unip. Teve prisão preventiva decretada. Mora no Parque Regina, na zona sul.
Temístocles de Souza, de 21 anos
Morador do Parque Arariba. Segundo a Polícia Civil, era estudante de Mecatrônica na Unip e permanece internado - foi baleado na hora da detenção.
Raphael Guilherme dos Santos, de 21 anos
Estava trabalhando em um escritório da região do Brooklin, na zona sul.
William Santos Gois, de 21 anos
Foi preso juntamente com Temístocles em 18 de julho.
Bruno Rodrigues Guedes, de 19 anos
Estudante, foi preso em abril deste ano por policiais civis do Brooklin. Investigadores afirmam que ele liderou pelo menos 19 casos de sequestros relâmpagos na região.

Grupo é preso durante assalto a joalheria dentro de shopping na Avenida Paulista


Dois policiais testemunharam a ação e acionaram o GOE; pelo menos 7 bandidos foram presos


Ricardo Valota, O Estado de S.Paulo
SÃO PAULO - Um grupo formado por sete ou oito assaltantes, a maioria do sexo masculino, foi preso, por volta das 21h30 desta segunda-feira, 30, por policiais civis quando tentava assaltar a joalheria Napoleon Joias, localizada no piso Augusta do Shopping Center 3, que fica na altura do nº 2.064 da Avenida Paulista, em Cerqueira César, região dos Jardins, trecho centro-sul da capital paulista.
Agentes do Grupo de Operações Especiais (GOE) foram acionados por dois policiais que estavam dentro do shopping e testemunharam a ação dos criminosos. Um táxi que seria utilizado por parte da quadrilha na fuga foi apreendido pelos policiais. Até a 1 hora desta madrugada de terça-feira, 31, nem os plantonistas do 78º Distrito Policial, dos Jardins, onde o caso está sendo registrado, nem os agentes do GOE, estavam dispostos a fornecer informações sobre o flagrante.

Claro entrega plano de investimento de R$ 5,8 bi até 2013


Presidente da operadora prevê que a companhia estará liberada para vender chips antes do Dia dos Pais, uma das principais datas do comércio


Mônica Ciarelli, da Agência Estado
RIO - Com as vendas de chips suspensas em três Estados, a Claro colocou na mesa da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) um plano de investimento de R$ 5,8 bilhões até o final de 2013. Além dos R$ 3,5 bilhões já anunciados para 2012, a companhia orçou mais R$ 2,3 bilhões para o ano que vem. Em entrevista exclusiva à Agência Estado, o presidente da operadora, Carlos Zenteno, revelou que a Claro vai antecipar investimentos no País para atender às exigências de qualidade do órgão regulador.
"Vamos ter que adiantar investimentos. (...) É muito importante ressaltar que nesse valor não está incluído todo o investimento em 4G que faremos", afirmou. A Claro foi suspensa pela Anatel de comercializar chips em São Paulo, Sergipe e Santa Catarina. Na última sexta-feira, Zenteno foi chamado a Brasília para participar de mais uma rodada de negociações com a agência reguladora do setor. Com 310 páginas, o plano de ação apresentado pela Claro à Anatel já está em sua quarta versão. Mas, desta vez, o presidente deixou Brasília bem mais otimista.
"Esperamos ter boas notícias nos próximos dias", previu. E completou: "Não tivemos nenhum comentário adicional. (...) Entendemos que esse plano já é o final, não deve ter mais mudanças", afirmou. Sem novos questionamentos pela Anatel, Zenteno acredita que a companhia estará liberada para vender chips antes do Dia dos Pais, uma das principais datas do comércio.
Outra estratégia da companhia para demonstrar o interesse na melhoria do serviço foi detalhar para Anatel o investimento na construção de um cabo de fibra óptica que irá do Rio de Janeiro até Miami, passando por Fortaleza, para funcionar em 2013. Orçado em R$ 988 milhões, o cabo, segundo o executivo, deixa a companhia mais preparada para atender ao crescimento de demanda esperado para a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016 no Brasil.
Por conta desses eventos, Zenteno acredita que a Anatel optou por cobranças mais amplas ao analisar o plano de ações da operadora. Tanto que foi preciso elaborar um documento detalhando todo o investimento mensal que será feito em cada Estado brasileiro até 2013. "É um relatório extenso. Tem Estado por Estado e cada investimento que faremos mensalmente", afirmou.
Com essa estratégia, observou, a Anatel quer evitar problemas de comunicações durante os grandes eventos internacionais no país, em especial na Copa das Confederações, já marcada para o ano que vem. O presidente adiantou que o documento contém ainda o compromisso da empresa de ter indicadores de qualidade por Estado. Os dados, segundo ele, devem ser disponibilizados ao público pelo órgão regulador.
Perdas
Zenteno admite que as perdas serão grandes com a suspensão das vendas, especialmente no mercado paulista. "A suspensão incluiu o principal mercado do país. O perfil de consumo de São Paulo é o mais elevado", disse. Zenteno lamentou o critério de punição da Anatel para a Claro, que se baseou apenas na qualidade do atendimento de call center. Segundo ele, a operadora atingiu todos os indicadores de desempenho de rede exigido pela Anatel nos últimos meses.
"Nós fomos bastante afetados com os critérios (escolhidos pela Anatel). Não foi um problema com a qualidade da rede", afirmou. Para Zenteno, a entrada em operação de um novo call center inteligente em setembro vai melhorar muito a qualidade do atendimento prestado pela Claro aos clientes. O novo call center vai consumir R$ 15 milhões em investimentos.

Delegado confirma acareação entre juiz e mulher de Cachoeira


Segundo a PF, Andressa Mendonça teria oferecido 'vantagens' e também ameaçou juiz de publicar dossiê, se ele não decidisse pela liberdade de seu marido


Rubens Santos, especial para O Estado - atualizada às 19h26
O delegado Sandro Paes Sandre, da Policia Federal, disse nesta segunda-feira, 30, que a acareação entre o juiz federal Alderico Rocha Santos e Andressa Mendonça, a mulher do contraventor Carlos Augusto Ramos, será na próxima semana. A mulher de Carlinhos Cachoeira foi denunciada por tentativa de chantagem pelo juiz da 11a. Vara da Justiça Federal em Goiás.
"Essa diligência (acareação), corroborada com outras que serão desenvolvidas, e com outros elementos de provas que serão coletados, formarão a apuração da autoridade policial", disse o delegado.
Uma Nota Oficial da PF diz que a mulher de Cachoeira teria oferecido ao juiz vantagens, o que caracteriza corrupção ativa.
"Ela (Andressa) me procurou, no meu gabinete, e disse ter em seu poder um dossiê, preparado por jornalista de uma publicação de repercussão nacional", disse o juiz à pessoas que trabalham em seu gabinete, na 11a. Vara Federal. "Ela disse, ainda, que se decidisse pela liberdade do Carlinhos Cachoeira, esse dossiê não seria publicado". O conjunto de documentos contendo "informações desfavoráveis" ao juiz Alderico Rocha Santos seria publicado pelo repórter Policarpo Júnior, na revista Veja. Foi com essa informação que ela pediu a audiência e entrou na sala do juiz, na semana passada. Outro juiz federal, Wilson Dias, também foi apontado por ela como alvo do dossiê.
Andressa Mendonça garantiu a Santos que poderia impedir a publicação. Para isso, disse que bastaria que ele "concedesse liberdade ao réu Carlos Augusto de Almeida Ramos", o Carlinhos Cachoeira, "e o absolvesse das acusações ofertadas pelo Ministério Público Federal (MPF)", diz o texto da representação do próprio MPF, que foi recebida em plantão e divulgado agora a pouco pela Justiça Federal em Goiás.
Durante o encontro, ocorrido na quinta-feira, 26, após a tomada de depoimentos de acusados na Operação Monte Carlo, a mulher do bicheiro teria pedido um pedaço de papel, onde escreveu três nomes de amigos do juiz e que fazem parte do tal dossiê.
Em vez de dar voz de prisão a Andressa Mendonça, o juiz esperou que ela saísse da sala, pegou o pedaço de papel, e acionou a PF.
As provas. A PF fará perícias nos celulares, computadores e tablets apreendidos. Também fará perícia no papel que Andressa entregou ao juiz, e comparar à escrita da mulher de Cachoeira.
Além dessas informações, o juiz Alderico Santos se propõe a apresentar outras provas contra a mulher do bicheiro. Como imagens das câmera instaladas no gabinete, o testemunho de funcionários dando conta da presença da mulher do contraventor.
Com todas as provas somadas, Andressa poderá ser indiciada, o inquérito da PF encerrado e enviado para a Justiça Federal em Goiás.
Questionada sobre o caso, a advogada Cláudia Batista, disse que a denúncia vai pesar contra a mulher do bicheiro. Porque "o juiz tem fé pública", e o pedaço de papel deixado por ela "é um principio de prova bem robusta". "Por se tratar de juiz federal, e se ele tiver outras provas como testemunhas, será indiciada em processo de tentativa de chantagem; se ofereceu dinheiro ou outra vantagem, por corrupção passiva", disse Batista.

Empresa de Russomanno tem bens bloqueados


Sócio do candidato, Laerte Codonho, dono da Dolly, foi condenado em 2011 por crime contra a ordem tributária


Fernando Gallo e Julia Duailibi, de O Estado de S. Paulo
A ND Comunicação, agência de publicidade da qual o candidato à Prefeitura de São Paulo Celso Russomanno (PRB) é sócio, está bloqueada judicialmente e com os bens indisponíveis. O bloqueio, pedido pela Fazenda Nacional e autorizado pela Vara da Fazenda Pública de Diadema, ocorreu em 19 de março deste ano e tem como alvo o empresário Laerte Codonho, sócio do candidato e dono da marca de refrigerantes Dolly.
Russomanno, candidato a prefeito de São Paulo, teria recebido dinheiro de sócio para campanha - Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE
Russomanno, candidato a prefeito de São Paulo, teria recebido dinheiro de sócio para campanha
Estado revelou no sábado, 28, que, em 2004, Russomanno, que se apresenta ao eleitorado e em programas de TV como defensor dos consumidores, usou seu mandato na Câmara para defender Codonho em audiência pública. Depois, o empresário tornou-se, além de sócio, o maior doador de campanha do ex-deputado federal na disputa ao governo paulista em 2010 e patrocinador de um de seus programas de TV.
Codonho foi condenado a cinco anos de prisão em regime semiaberto em novembro de 2011, por crime contra a ordem tributária. Ele recorre da decisão em tribunais superiores.
Na ação penal a que o empresário responde e que corre sob segredo de Justiça, a desembargadora Ramza Tartuce informa que Codonho foi condenado por crimes relatados pela Receita Federal. Segundo a desembargadora, o Fisco informou ter verificado, em auditoria feita na Dolly, a sonegação de impostos por meio da omissão de receitas. A Receita, então, encaminhou uma representação criminal contra Codonho e a empresa.
Esquema. Uma testemunha que relatou à Justiça o suposto esquema de sonegação foi o ex-funcionário Pedro Quintino de Paula, que trabalhou na Dolly entre 1995 e 2001. Em entrevista ao Estado, Quintino afirmou que Codonho ordenava o pagamento de 20% dos tributos devidos.
"No ano 2000, eles chegavam a sonegar entre R$ 1,8 milhão e R$ 2 milhões por mês", afirmou. "Desde o inicio pagávamos 20% do valor dos impostos que deveriam ser pagos. Nunca se recolheu 100%."
Quintino disse que uma gráfica imprimia notas fiscais em duplicidade para a Dolly. "Repetia o mesmo número duas vezes, ou até três, quando precisava para fazer um valor de 20% para o Fisco e de 100% do cliente."
O ex-funcionário foi convidado por Russomanno para a audiência em que ele defendeu a Dolly. Segundo Quintino, a reunião foi um jogo de "cartas marcadas". "A audiência toda foi comandada pelo Laerte Codonho." Ele disse avaliar que o empresário e Russomanno tenham combinado o tom do encontro.
Procurado, o empresário não respondeu até a edição ser concluída. Em 2004, na audiência, Codonho chamou Quintino de "bandido" e "estelionatário" e afirmou ter provas de que o ex-funcionário roubara a Dolly e de que ele fora infiltrado na empresa pela Coca-Cola, com quem travava uma disputa industrial.

Em São Bernardo, Lula pede votos para o filho Lulinha


‘É como se estivessem me elegendo vereador’, diz ex-presidente na inauguração do comitê de Marcos Cláudio


Bruno Boghossian, Daiene Cardoso e Débora Álvares, de O Estado de S. Paulo
Apesar de reclamar do inchaço no pescoço e voltar a ser incomodado pelas dores da bursite no ombro direito, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cumpriu compromissos nos últimos dois dias a fim de ajudar os candidatos do PT nas eleições.
Lula posa para fotos com candidatos do PT e da base aliada - Werther Santana/AE
Werther Santana/AE
Lula posa para fotos com candidatos do PT e da base aliada
No domingo, 29, Lula entrou para valer na campanha a vereador do filho mais velho, Marcos Claudio Lula da Silva, candidato do PT em São Bernardo do Campo. Ao participar da inauguração do comitê, Lula pediu mais que votos. "A eleição do Marcos é como se vocês estivessem me elegendo vereador. Vamos colocar o Lulinha para ver se ele faz na Câmara o que foi feito no País."
O coordenador da campanha, Dirceu Marcos, disse que a imagem de Lula "será associada à do Marcos na mesma medida de outros candidatos". Em compensação, Lulinha terá outras companhias de peso em seu palanque. A mãe, Marisa Letícia, quer acompanhar o filho sempre que não estiver com o próprio Lula. E o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), também terá Lulinha ao seu lado em boa parte dos eventos da campanha à reeleição.
Lulinha é filho de Marisa Letícia com o primeiro marido, morto em um latrocínio. Lula assumiu a paternidade após se casar com Marisa. Em 2008, Lulinha não pôde sair candidato por causa do grau de parentesco com o então presidente da República.
Pescoço. Na segunda-feira, 30, Lula posou para fotos com candidatos petistas e aliados vindos de todo o País, em um hotel na zona sul de São Paulo. Foram convidados 84 petistas e 34 apoiados pelo PT em capitais e cidades com mais de 150 mil eleitores.
A três dias do início do julgamento do mensalão, notou-se a ausência de João Paulo Cunha, um dos 38 réus e candidato do PT em Osasco. Petistas negam que Cunha tenha faltado para evitar constrangimentos.
Na segunda, Lula mostrou incômodo com o inchaço no pescoço, consequência da radioterapia para combater um câncer na laringe. O ex-presidente fez uma sessão de fonoaudiologia no próprio hotel antes das fotos.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Sai hoje sentença sobre pedidos de impugnação de candidaturas



Em caso de indeferimento, o candidato poderá recorrer ao TRE

 Jornal Cruzeiro do Sul

Rosimeire Silva
rosimeire.silva@jcruzeiro.com.br


O cartório da 137ª Zona Eleitoral de Sorocaba publica hoje as sentenças do juiz eleitoral, Pedro Luiz Alves de Carvalho, para os pedidos de impugnação de candidatura de Antônio Carlos Pannunzio (PSDB) e Renato Amary (PMDB), ambos a prefeito, e de João Donizetti Silvestre (PSDB), à Câmara de Vereadores. Caso os candidatos tenham os pedidos de candidatura indeferidos, os políticos terão prazo de três dias para entrarem com recurso junto ao TRE contra a decisão. O prazo de recurso vale também para que os autores dos pedidos de impugnação contestem a decisão judicial, no caso de deferimento da candidatura dos denunciados.

Os três políticos acumulam cinco requerimentos de inelegibilidade baseados na Lei da Ficha Limpa. Antônio Carlos Pannunzio foi denunciado pelo cidadão José Rubens Abramovis, filiado ao PSL (partido coligado com o PT), com a justificativa de que, quando prefeito, no começo dos anos 90, Pannunzio teria gasto (e foi acionado judicialmente por isso) dinheiro público para divulgar, num programa de televisão e em outras peças publicitárias, a construção dos dois terminais de ônibus da cidade. Outra denúncia foi requerida pelo ex-secretário da gestão Vitor Lippi, e candidato a vereador pelo PPS (partido que está na coligação liderada pelo PMDB), Rodrigo Moreno, com a alegação que o tucano usou de recursos para promover sua administração, além de ter contratado funcionários no período eleitoral, o que é proibido por lei.

Renato Amary teve pedido de impugnação requerido pelo PRP, sigla coligada ao PSDB, sob a alegação de que o peemedebista, quando também governava a cidade, contratou, sem licitação, empresa para fazer a cobrança da dívida ativa. Amary teve, ainda, a impugnação de sua candidatura requerida pelo petista Arnô Pereira, candidato a vereador, baseada na transferência de recursos do Saae para a Prefeitura, realizada durante a sua administração, cuja operação foi considerada irregular pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). 

O candidato a vereador João Donizetti Silvestre responde a requerimento de impugnação por iniciativa do também candidato a vereador pelo PRTB, Michel Straub. O motivo seria que quando ocupou o cargo de presidente da Câmara, Donizetti teve as contas rejeitadas pelo TCE. 
O Ministério Público interveio em todos os casos, e deu parecer favorável aos impugnados, argumentando, basicamente, que em nenhum deles foi caracterizada hipótese de infração à regra da Ficha Limpa. A decisão final, porém, cabe ao Judiciário.
 
Demais processos 
A chefe do cartório da 137ª Zona Eleitoral, Laurinda Ana de Negreiros, responsável pelo registro de candidaturas, disse que até esta quarta-feira, dia 1º, deve ser concluído o julgamento de todos os demais processos com pedidos de candidatura para as próximas eleições. A publicação com a relação de todos os nomes esta prevista para quinta-feira. Além dos quatro candidatos a prefeito e vice-prefeito, 444 políticos entraram com pedido de candidatura para vereadores. O prazo previsto pela Justiça Eleitoral para o julgamento de todos os pedidos se encerra no dia 5 de agosto.

Inscrições abertas para curso de modelagem industrial em São Roque


Curso é gratuito.

Aulas começam na segunda-feira (30).

Do G1 Sorocaba e Jundiaí
Comente agora
Estão abertas até esta sexta-feira (27) as inscrições para o curso de modelagem industrial de camiseta e agasalho em São Roque (SP). 
Para participar o candidato deve ter no mínimo 16 anos e ter cursado a 6ª série do ensino fundamental. Por ser continuação de outros módulos, o aluno deve apresentar cópia de certificados anteriores ou comprovar experiência na área. Para se inscrever é necessário apresentar cópia do RG, CPF, comprovante de endereço e histórico escolar.
As aulas começam na segunda-feira (30), sempre de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h. Serão 60 horas de curso.