quarta-feira, 30 de abril de 2014

Sorocaba registra 8 assassinatos em menos de 12 horas

Perua foi encontrada em uma estrada de terra, no meio de um pasto.

Cidade tem oito homicídios registrados desde a noite de terça-feira (29).

Do G1 Sorocaba e Jundiaí
9 comentários
Três corpos foram encontrados dentro de uma perua carbonizada em Sorocaba (Foto: Thiago Ariosi/TV TEM)Três corpos foram encontrados dentro de uma perua carbonizada em Sorocaba (Foto: Thiago Ariosi/TV TEM)
Três corpos foram encontrados carbonizados na manhã desta quarta-feira (30) dentro de uma perua que estava em uma estrada de terra, no meio de um pasto, nas proximidades da Zona Industrial de Sorocaba (SP).
Na Vila Hortência, na Zona Leste, um aposentado conversava com o vigilante de uma obra na rua Assis Machado quando uma moto parou e o passageiro que estava na garupa disparou contra eles. O aposentado morreu na hora, e o vigilante foi hospitalizado e passa bem. De acordo com a Polícia Militar, existe a suspeita de tentativa de assalto.A Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência. Com esse caso, sobe para oito o número de homícidios registrados na cidade apenas deste a noite desta terça-feira (29), quando cinco pessoas foram mortas em três diferentes pontos da cidade.
O segundo caso foi no bairro Itanguá, na Zona Oeste de Sorocaba, em horário quase simultâneo à ocorrência da Vila Hortência. O crime ocorreu na viela Santa Catarina. De acordo com a PM, os autores do crime estavam a pé quando se aproximaram de três homens e atiraram. As vítimas foram encaminhadas a um hospital e uma delas, menor de idade, não resistiu aos ferimentos e morreu. Os outros dois continuam internados, com estado de saúde ainda não divulgado.
O último crime ocorreu no Paineiras, na Zona Norte. Cinco pessoas que estavam em um bar foram baleadas depois que uma moto parou em frente ao estabelecimento. Tanto o passageiro quanto o motociclista dispararam contra o grupo. Dois morreram na hora, um a caminho do hospital e os outros dois continuam internados, com estado de saúde também não divulgado.
Onda de crimes
A cidade está em estado de alerta desde o último domingo, quando o policial Sandro Luís Gomes foi morto no Jardim Paulista, também na Zona Norte de Sorocaba. Segundo a Guarda Civil Municipal, os criminosos estavam em dois carros e efetuaram vários disparos contra dois policiais militares que faziam patrulhamento pela avenida Itavuvu. O policial Antonio Correa Junior também foi atingido, mas sobreviveu. Na mesma madrugada deste domingo, a casa de outro policial militar foi alvejada por vários tiros, desta vez na Vila Haro, Zona Leste da cidade.
Na manhã da terça-feira (29), a polícia já havia registrado três assassinatos. Os corpos foram encontrados baleados em uma casa da Vila Nova Sorocaba, na Zona Norte. De acordo com a PM, vizinhos ouviram barulho de vários tiros às 23h da segunda-feira (28), mas as vítimas só foram encontradas pela manhã de terça-feira, quando, ao verem o portão da residência aberto, os vizinhos resolveram entrar. Os três corpos foram encontrados no fundo da casa com várias marcas de bala na cabeça.

Cadela tem suíte em hotel de luxo

Folha de S.Paulo

Há nove meses morando em uma das suítes do prédio anexo do Copacabana Palace, no Rio, a inglesa Lady Bella conquistou privilégios que nenhum outro hóspede do hotel tem direito, a uma diária de R$ 1.500.
É a única hóspede a ser convidada a dormir, dia sim, dia não, na cama da diretora-geral do hotel, Andrea Natal. Sempre que está cansada, ganha colinho dos funcionários.
Lady Bella, 11 anos, é uma cadelinha branca, da raça bichon frisé.
Ela tem funcionários do hotel à sua disposição 24 horas por dia, seja para levá-la para uma caminhada ou uma leve corridinha pela praia, ou para fazer-lhe companhia quando seu "pai", o inglês Benjamin Bowen, 39 anos, conhecido no hotel como Lorde Bowen, está viajando.
Desde julho do ano passado, Lorde Bowen vive no hotel. O inglês decidiu passar um período sabático no Rio, longe de seus negócios, acompanhado apenas da "filha".
Nos últimos meses, no entanto, Bowen precisou fazer algumas viagens. Há quase um mês está fora.

30 tiros foram dados em delegacia de Santo André

Josmar Jozino

do Agora
Ao menos 30 tiros foram disparados dentro e fora do 2º DP de Santo André (ABC), no último sábado, quando o pediatra Ricardo Seiti Assanome, 27 anos, que estava na delegacia para prestar queixa de um acidente de trânsito, foi atingido na cabeça por uma bala e morreu.
Delegados e investigadores de outras unidades da Polícia Civil que chegaram ao 2º DP contaram mais de 30 tiros.
Um policial civil que pediu para não ser identificado afirmou ao Agora que foram disparados 13 tiros dentro da delegacia e ao menos 17 do lado de fora.
A Secretaria de Estado da Segurança Pública só confirma os 13 tiros.

Termina hoje prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda

 Agência Brasil* 
Banner Imposto de Renda

Os contribuintes só têm até hoje (30) para acertar as contas com o Fisco. Termina às 23h59min59s o prazo de entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). Segundo o balanço mais recente da Receita Federal, cerca de 21,7 milhões de contribuintes haviam entregado o documento até as 17h de ontem (29), o que equivale a 80,4% dos 27 milhões de declarações esperadas neste ano.
Quem não entregar a declaração no prazo, será multado em R$ 165,74 ou 20% sobre o imposto devido, prevalecendo o maior valor. Está obrigado a declarar quem recebeu R$ 25.661,70 em rendimentos tributáveis no ano passado, o que dá R$ 1.974,28 por mês, incluído o décimo terceiro salário. Também deve declarar quem recebeu mais de R$ 40 mil em rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte ou obteve ganhos de capital e lucros na bolsa de valores.

Os contribuintes com certificação digital ou representantes com procuração eletrônica recebem, pela primeira vez, a
 declaração pré-preenchida. Por meio do Centro Virtual de Atendimento da Receita (e-CAC), eles têm acesso ao documento preenchido com antecedência pelo Fisco e só precisam confirmar as informações para enviar a declaração.O programa gerador está disponível na página da Receita Federal na internet desde 26 de fevereiro, mas a transmissão dos formulários começou em 6 de março, assim como a liberação do aplicativo que permite o preenchimento da declaração em tablets esmartphones.
As regras para o preenchimento da declaração foram divulgadas em 21 de fevereiro no Diário Oficial da União. Como nos outros anos, o contribuinte que enviar a declaração no início do prazo deverá receber a restituição nos primeiros lotes, a menos que haja inconsistência, erro ou omissão no preenchimento.
Também terão prioridade no recebimento das restituições os contribuintes com mais de 60 anos, conforme previsto no Estatuto do Idoso, além de pessoas com doença grave ou deficiência física ou mental.
O contribuinte pode tirar dúvidas sobre o Imposto de Renda pela internet. Está disponível no canal da Receita Federal no Youtube um vídeo com explicações sobre as novidades da declaração deste ano e com dicas para evitar erros no preenchimento das informações.
*Colaborou Daniel Lima

Estado quer colocar Marcola de volta no RDD

Principal líder da façção criminosa Primeiro Comando da Capital obteve liminar no início do mês para sair de regime após plano de fuga cinematográfico

Rafael Italiani - O Estado de S. Paulo
No último dia 9 de abril, Marcola obteve uma liminar da Justiça para deixar o regime de detenção - Paulo Liebert/Estadão
Paulo Liebert/Estadão
No último dia 9 de abril, Marcola obteve uma liminar da Justiça para deixar o regime de detenção

No dia 9 de abril, Marcola obteve uma liminar na Justiça para deixar o regime de isolamento. Ele ficou no RDD entre os dias 11 de março e 10 de abril deste ano, a pedido do governador Geraldo Alckmin (PSDB), após a descoberta de um plano de fuga cinematográfico da P-2 de Presidente Venceslau. O plano de resgate foi revelado em fevereiro pelo
 Estado.SÃO PAULO - O governo de São Paulo quer que Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), volte a cumprir pena no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). O secretário de Administração Penitenciária (SAP), Lourival Gomes, afirmou, na manhã desta terça-feira, 29, durante o anúncio da construção de 12 Centros de Detenção Provisória (CDPs), que vai pedir a internação do chefe da facção por um período de 360 dias no RDD.
A ação para que Marcola, Claudio Barbará da Silva, Célio Marcelo da Silva, o Bin Laden, e Luiz Eduardo Marcondes Machado, o Du Bela Vista, fugissem de Venceslau envolvia um helicóptero camuflado com adesivos da Polícia Militar, um avião monomotor e armamento pesado.
"O pedido que fizemos antes foi cautelar. Agora, podemos fazer um novo, com no máximo 360 dias de internação, tempo máximo que a lei permite", afirmou Gomes. Ainda de acordo com o secretário, "há algumas semanas", ele próprio solicitou que Fernando Grella Vieira, secretário estadual de Segurança Pública, "levantasse" com as Polícias Civil e Militar documentos que comprovem a necessidade de que Marcola retorne para o RDD para cumprir pena.
Gomes disse também que não concordou com a decisão da Justiça que tirou o líder do PCC do regime de isolamento. "Para a nossa surpresa, ele saiu antes do período que havíamos pedido. Entendo que a decisão foi equivocada."
A liminar obtida pelo governo do Estado em março autorizava a detenção de Marcola no RDD por 60 dias. O tempo seria usado para continuar a investigação sobre o plano de fuga.
Sem indícios. O desembargador Péricles Piza, que concedeu a liminar favorável a Marcola, entendeu que, mesmo que houvesse um fato novo na investigação, não havia indícios de que o chefe do PCC tivesse ordenado a fuga.
Em nota, a Secretaria de Estado da Segurança Pública afirmou que "não comenta nem divulga detalhes de investigações e outras informações estratégicas que, se reveladas, possam prejudicar o trabalho das polícias e da pasta".

Dilma diz que é candidata mesmo sem apoio da base aliada

Em entrevista a rádios da Bahia, presidente afirma que movimento 'Volta, Lula' é normal e vai 'tocar em frente'


Francisco Carlos de Assis - Agência Estado
São Paulo - A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira, 30, que gostaria de ter a base aliada próxima quando sair candidata à reeleição e que seguirá mesmo sem apoio. Questionada sobre o movimento "Volta, Lula", em entrevista a rádios da Bahia, onde cumpre agenda, ela afirmou que se trata de uma situação normal e que, em ano eleitoral, é possível que ocorram "todas as hipóteses que se pode conceber".
Ao comentar a manifestação de parlamentares do PR, nesta semana, que querem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato do PT, Dilma respondeu: "Se não tiver o apoio da base (quando eu for candidata), toco em frente", afirmou.
Ainda nesta manhã, Dilma participa da entrega de unidades habitacionais do programa "Minha Casa, Minha Vida", em Camaçari (BA). Nesta terça-feira, ela participou de eventos em Feira de Santana, no interior baiano.

PF vê influência de doleiro sobre Padilha

Em mensagem interceptada pela polícia, Youssef diz a parceira de esquema que, se ex-ministro for eleito governador, ajudaria ‘e muito’

Fausto Macedo e Fernando Gallo
A Polícia Federal aponta “influência política” do doleiro Alberto Youssef – alvo maior da Operação Lava Jato – sobre o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT. A suspeita decorre de diálogo interceptado pela PF, entre Primo, como Youssef é conhecido, e a doleira Nelma Mitsue Penasso Kodama, no dia 5 de março, através de um aplicativo de mensagem instantânea.
Ela questiona Youssef se ele “tem acesso atualmente” ao delegado-geral da Polícia Civil paulista e cita o nome Maurício Blazeck, que ocupa o cargo desde novembro de 2012. Nelma diz que “queria um cargo para um amigo” dela no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).
“Se o Padilha ganhar o governo ajudo ele e muito”, respondeu o doleiro. Para a PF, o diálogo grampeado “indica possivelmente que (Youssef) tem influência política junto ao candidato ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha”.
“Tá bom. Eu quero então acesso ao delegado geral de sp prá um cargo”, finalizou Nelma.
Em outro momento, ela solicita a Youssef que entre em contato através do skype e indica o contato: ‘joaquina_apazza”. A PF conclui que os dois “possivelmente passaram a conversar através deste dispositivo”.
Labogen. Padilha não é investigado pela Lava Jato, mas o nome dele é citado em outros documentos da PF. No relatório principal, que resultou na ordem de prisão de Youssef e seu grupo, os investigadores revelam o empenho do doleiro para emplacar o laboratório Labogen Química Fina em negócio milionário da Saúde, na gestão do petista. A PF juntou aos autos cópia do projeto de Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP) do ministério e anexou uma fotografia do ex-ministro em um evento.
Em um relatório, a PF transcreve diálogos entre o doleiro e o deputado André Vargas, que se desfiliou do PT na sexta feira. Numa conversa com Youssef, o parlamentar diz que foi Padilha quem indicou um ex-assessor na Saúde para ocupar cargo no Labogen.
A nova citação a Padilha consta de relatório complementar de monitoramento telemático número 8/14. O trecho em que Nelma indaga Youssef se ele tem acesso ao delegado a PF intitulou “influência governo São Paulo”. O grampo alcançou 512 mensagens entre Youssef, que se identifica por ‘Jaiminho’, e Nelma no período de 28 de fevereiro a 14 de março, no âmbito da Operação Dolce Vita, desdobramento da Lava Jato – foram quatro investigações simultâneas, cada uma relacionada a um grupo de doleiros.
Youssef foi preso no dia da deflagração da Lava Jato, 17 de março. Nelma foi capturada dois dias antes no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, quando tentava embarcar para Milão (Itália), com 200 mil escondidos na calcinha.
Multiconta. As interceptações revelam intensa atividade dos dois doleiros. No dia 28 de fevereiro, Youssef solicitou a Nelma “orçamento” para compra de US$ 80 mil. Ela pergunta se o pagamento “será feito em reais em espécie ou se através de transferência bancária”. Em 6 de março, ele diz que precisa comprar US$ 300 mil e pergunta se ela “tem alguma conta disponível na Europa”.
Nelma diz que tem uma conta na China que aceita depósito de euros. Youssef diz que o valor total é de 1,15 milhão. Ela sugere depositar 150 mil em conta sua na Itália e o restante em uma conta na China. “É uma multiconta, não tem problema depósito em euros”, ela diz.
A Justiça Federal abriu ação contra Nelma, “grande operadora do mercado negro de câmbio”. A soma da movimentação financeira de suas empresas de fachada atingiu R$ 103 milhões, entre 2012 e 2013, segundo o Conselho de Controle de Atividades Financeira (Coaf). A Procuradoria da República afirma que a doleira era “líder do grupo criminoso, mandante e executora dos crimes financeiros”.
Medidas legais. O ex-ministro Alexandre Padilha (PT) afirmou, em nota enviada por sua assessoria à reportagem, que “não irá comentar diálogos de terceiros e reitera que irá interpelar judicialmente qualquer pessoa que utilizar indevidamente seu nome”. “O ex-ministro já protocolou na Polícia Federal o requerimento para obter o relatório na íntegra e tomar medidas legais.”
A assessoria informou que o advogado Marcelo Nobre, que representa Padilha, protocolou em cartório interpelação solicitando esclarecimentos ao deputado federal André Vargas (sem partido-PR) para que explique “o uso indevido do nome de Alexandre Padilha em mensagem escrita por ele, e interceptada pela Polícia Federal”. “As medidas são mais uma demonstração da seriedade e da transparência com que Alexandre Padilha tem tratado a questão do envolvimento indevido do seu nome na operação da PF, mesmo sem ter nenhuma acusação ou denúncia contra ele.”
O presidente do PT paulista, Emídio de Souza, afirmou ser “uma excrescência” chamar Padilha para responder sobre um diálogo entre doleiros tratando de cargos no Estado.
O delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Luiz Maurício Blazeck, disse, em nota “que não conhece nem teve contato com nenhum dos doleiros”.

Em meio à alta da inflação, Maduro aumenta salário mínimo em 30%

Nos três primeiros meses do ano, preços no país já subiram 10%, segundo Banco Central da Venezuela


O Estado de S. Paulo
CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na terça-feira, 29, um aumento de 30% no salário mínimo e nas pensões. O novo valor é de 4.251,78 bolívares, o equivalente a  R$ 1.500 pelo defasado câmbio oficial do país.
Maduro enfrenta protestos na Venezuela - Efe
Efe
Maduro enfrenta protestos na Venezuela

Maduro lembrou que seu governo já havia decretado um aumento de 10% em janeiro como uma forma de compensar o alto índice inflacionário de 2013, que foi de 56,2%.
"Por causa do Primeiro de Maio decidi dar um aumento no salário mínimo nacional e nas pensões para elevá-los aos níveis de defesa necessário para a vida nosso povo", disse Maduro durante um encontro com trabalhadores no Palácio de Miraflores, sede do governo em Caracas.
Para o líder opositor e ex-candidato presidencial Henrique Capriles o ajuste salarial é insuficiente porque uma melhora deveria estar acima da inflação.
"É um aumento de salário incompleto, consequência também do fracasso do modelo castro-comunista que insiste em aplicar", escreveu o opositor na rede social Twitter.
O Banco Central da Venezuela revelou na semana passada que a inflação em março foi de 4,1%, o que situa em 10,1% o acumulado de janeiro a março de 2014. / EFE

Estradas de SP terão 1,6 mil policiais e bafômetros no feriado

Fiscalização da velocidade será feita por meio de 61 radares móveis inteligentes


José Maria Tomazela - O Estado de S. Paulo
SOROCABA - A expectativa de que o paulistano emende o feriado de 1º de maio, Dia do Trabalho, com o final de semana levou a Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo a dispor de todo efetivo da Polícia Militar Rodoviária para a fiscalização das estradas. Serão empregados 1.600 policiais em 700 viaturas, além de helicópteros, durante o feriado prolongado.
Previsão é de que o movimento de saída para o feriado se intensifique a partir das 14h desta quarta - Epitacio Pessoa/Estadão
Epitacio Pessoa/Estadão
Previsão é de que o movimento de saída para o feriado se intensifique a partir das 14h desta quarta

Os policiais vão dispor de 349 bafômetros para testes de embriaguez. O condutor que for flagrado dirigindo após ter bebido será multado em R$ 1.915,40 e pode ter o veículo apreendido e a carteira de habilitação suspensa, além de responder a processo. A operação vai até a meia-noite de domingo.
A fiscalização da velocidade será feita por meio de 61 radares móveis inteligentes - que podem ser usados com a viatura em movimento e identificam pela placa veículos furtados ou irregulares -, 125 radares portáveis e 93 fixos, além dos sistemas integrados às câmeras de monitoramento das rodovias.
A previsão é de que o movimento de saída para o feriado se intensifique nas rodovias a partir das 14 horas desta quarta-feira, 30, com pico entre 16 e 20 horas. Nas principais rodovias haverá restrição para a passagem de cargas superdimensionadas.
Obras. Em algumas rodovias, os motoristas vão encontrar trechos em obras. Nesta quarta-feira, 30, a rodovia Raposo Tavares (SP-270) terá trechos interditados para obras de duplicação entre o km 117 e o km 132, em Araçoiaba da Serra, e entre o km 146 e o km 148, na região de Sarapuí.  O tráfego fluirá por uma faixa. A obra será suspensa de quinta a domingo, mas a pista tem locais sem acostamento.
Na Rodovia Presidente Dutra, sentido Rio de Janeiro, haverá restrição de tráfego no km 123,1, em Caçapava, em razão de obras na ponte sobre o Córrego Caetano. No Sistema Anhanguera-Bandeirantes, sentido interior, as obras foram suspensas, mas na quinta-feira e no domingo, das 14 às 22 horas, os caminhões que se destinam à capital não podem transitar pela Bandeirantes, no trecho do km 48 ao km 23, e devem utilizar apenas a Via Anhanguera. A concessionária do sistema fará coleta de agasalhos para a campanha do Fundo Estadual de Solidariedade nos postos de abastecimento.
Na Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), podem ser instaladas faixas reversíveis no trecho da Serra do Cafezal, entre Juquitiba e Miracatu. Se houver necessidade, a Polícia Rodoviária Federal vai liberar o trânsito pelo acostamento.

Paróquias precisam se aproximar das pessoas, diz arcebispo de Aparecida

D. Raymundo Damasceno adota orientação do papa Francisco durante a inauguração da Assembleia-Geral da CNBB, realizada nesta quarta


Edison Veiga - O Estado de S. Paulo

A assembleia começa nesta quarta e vai até o dia 9.
 "É preciso renovar as paróquias tornando-as mais próximas das pessoas", afirmou o cardeal arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), d. Raymundo Damasceno, na missa de abertura da 52ª Assembleia-Geral da CNBB, realizada na manhã desta quarta-feira, 30, no Santuário Nacional de Aparecida, no interior de São Paulo.

O mote confirma recorrente pedido do papa Francisco,  para que os padres estejam junto ao povo, a serviço das suas comunidades. Este deve ser o tema central da assembleia deste ano.
Cerca de 400 bispos participam do evento.

"Uma marca especial deste evento é a alegria da santidade", afirmou o cardeal arcebispo,  referindo-se às recentes canonizações do jesuíta José de Anchieta e dos papas João paulo II e João XXIII.

Brasil ataca subsídio japonês a aviões

Governo cobra explicações do país na OMC, ganha o apoio da China e pode formalizar queixa, já que medidas prejudicariam a Embraer


Jamil Chade - Correspondente - O Estado de S.Paulo
GENEBRA - O Brasil vai à Organização Mundial do Comércio (OMC) contra os subsídios dados pelo Japão à fabricação e exportação de jatos, acusando Tóquio de estar distorcendo o mercado e prejudicando as vendas da Embraer. Brasília ganhou o apoio da China, que também já estuda entrar no mesmo mercado da aviação civil.
O caso foi apresentado ontem em Genebra pelo Itamaraty, mesmo não se tratando ainda de uma disputa comercial nos órgãos de solução de controvérsias. O Brasil cobra uma explicação sobre o dinheiro concedido pelo governo à Mitsubishi Regional Jet.
Segundo o Itamaraty, esses recursos seriam subsídios ilegais e violariam as regras da OMC. Isso porque, ao receber essa ajuda, os jatos japoneses estariam concorrendo no mercado internacional em melhores condições que a Embraer.
O Brasil pediu que Tóquio informasse a dimensão dessa ajuda e quanto dinheiro a empresa recebeu do governo sob a alegação de recursos para pesquisa e desenvolvimento.
Em resposta, o governo do Japão garantiu que sua política para o setor da aviação era "consistente" com as regras da OMC e com os acordos de subsídios. Além disso, Tóquio garante que notificou a organização de comércio sobre seu projeto.
O Itamaraty imediatamente retrucou, alertando que continuará a levantar o tema nos debates da OMC, e em encontros futuros, até que o Japão esclareça o volume de subsídios.
Há quatro anos o Brasil levantou pela primeira vez o assunto, ainda que de forma moderada. O Japão está se preparando para entrar no mercado de jatos regionais, hoje dominado por Brasil e Canadá. Neste ano de 2014, Tóquio deverá lançar um modelo para 92 pessoas. Mas, quatro anos antes da entrada em operação, 200 encomendas já haviam sido feitas. A meta do Japão é controlar uma em cada três encomendas mundiais desse segmento.
Em 2011, Brasil, Japão, EUA, Canadá e Europa assinaram um acordo estabelecendo limites para a ajuda dos Estados ao setor aéreo, na esperança de pôr fim à crise e às guerras comerciais. Mas o tratado não impediu novas acusações.
Setor automotivo. No início do mês, o Japão liderou uma ofensiva de mais de 30 países questionando na OMC a política de incentivos fiscais do governo brasileiro para montadoras, dizendo que o Brasil podia estar violando as regras internacionais ao reduzir o IPI e outros impostos para empresas que fabricassem veículos localmente com determinado nível de peças nacionais.
O Japão pediu que o Brasil removesse as medidas, que considerava " discriminatórias" e disse estar também preocupado com práticas similares em setores como comunicação e equipamentos de informática.
Diplomatas na UE também disseram que estar preocupados e classificaram as medidas brasileiras como um "assunto sério". Bruxelas, em nome de seus mais de 25 governos, abriu uma queixa formal contra o Brasil em dezembro de 2013. Mas até agora não indicou que levaria o caso para os tribunais.

Ministra denuncia ‘intolerância’ no debate sobre liberdade

Em encontro no Rio sobre comunicação e mercado, Cármen Lúcia critica condutas que ‘buscam tutelar a sociedade’


Luciana Nunes Leal
Rio – A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, disse nesta terça-feira, 29, que há no País “uma intolerância enorme para tudo o que seja diferente” e que “não adianta querer ser livre e abrir mão de pensar”.
Diante de uma plateia de professores e alunos do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), no Rio, a ministra advertiu: “Temos um Estado democrático, mas a pergunta é se temos uma sociedade tão democráticas quando a Constituição pressupõe. Hoje noto uma intolerância enorme para tudo que seja diferente, é uma tragédia para a democracia e o exercício da liberdade. Não adianta querer ser livre e abrir mão de pensar”.
A fala da ministra abriu o seminário Comunicação e Mercado no Brasil: Desafios e Oportunidades, que o Ibmec promove junto com o Instituto Palavra Aberta.
O tema da intolerância foi retomado pouco depois, pelo presidente do Grupo Abril, Fábio Barbosa. Depois de dizer que “a falta de tolerância é a antítese da democracia”, Barbosa advertiu que o País está “vivendo um momento muito delicado de verdade única, de falta de convivência com a opinião contrária”. Para ele, “toda conduta que busca tutelar a sociedade é um risco para a liberdade de expressão. O politicamente correto exacerbado também é intolerante, porque ele não admite outro pensamento”.
O seminário marcou o lançamento de uma nova cátedra no Ibmec, sobre liberdade de expressão – fruto de parceria do Ibmec com o Instituto Palavra Aberta. Na palestra inicial, Cármen Lúcia abordou a questão da liberdade e da censura. Ela defendeu uma melhor discussão sobre privacidade. “Temos a invasão de privacidade e a evasão de privacidade. A pessoa vai à Igreja fazer uma doação para o padre e quer que aquilo seja divulgado e publicado. Mas não quer aparecer quando namora escondido. E o jornalista não vai parar na hora que essa pessoa quer”.
O professor da USP Eugênio Bucci, também diretor de pós-graduação em Jornalismo da Escola Superior de Propaganda e Marketing, em São Paulo, disse que liberdade e privacidade não são excludentes e, ao contrário, “a privacidade é uma conquista da liberdade”. “Não podemos cair na armadilha de acreditar que a liberdade é relativa por força da privacidade”, disse ele.
Desafios. A presidente do Instituto Palavra Aberta, Patricia Blanco, destacou que “a defesa da liberdade de expressão é uma luta cotidiana porque todos os dias aparecem novos desafios”. Outro a falar, o vice-presidente de Relações Institucionais das Organizações Globo, Paulo Tonet Camargo, fez uma comparação histórica: “Quem viveu a transição da ditadura para a democracia sabe o valor da liberdade. Vocês podem imaginar o que é não poder votar para presidente da República?” Também participaram do seminário o diretor do Ibmec, Fernando Schüler, e o diretor de Políticas Públicas da Google no Brasil, Marcel Leonard.

Renan diz que vai recorrer da decisão do Supremo sobre CPI da Petrobrás e sugere que trabalho comece na terça

Presidente do Senado disse que ao apresentar o recurso, que não terá efeito suspensivo, estará cumprindo seu ‘dever constitucional


Daiene Cardoso

Brasília – O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou na tarde desta terça-feira, 29. no plenário da Casa, que vai recorrer de forma institucional ao pleno do Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão da ministra Rosa Weber que determina a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás. Renan disse que é seu “dever constitucional” apresentar o recurso, mas que como não há efeito suspensivo do recurso, cumprirá a determinação judicial imediatamente.
“Recorro porque é imperioso pacificar o entendimento do pleno”, disse o presidente do Senado. De acordo com ele, o recurso é “dever de ofício” e mostra a “coerência institucional” da presidência do Senado.
O peemedebista aproveitou para solicitar que os partidos apresentem seus indicados para compor a comissão, que terá 13 titulares. Na ocasião, o líder do PTB, senador Gim Argello (DF), anunciou que ele e o senador paulista Antonio Carlos Rodrigues, são os nomes indicados pela sigla para integrar o grupo.
Renan propôs que os trabalhos possam começar já na próxima terça-feira (6), dia em que solicitou uma reunião de líderes para discutir a exigência dos deputados em instalar a comissão mista do Congresso Nacional. O peemedebista argumentou que a opção entre CPI e CPMI é uma decisão política e que gostaria de “dividir” essa definição com os líderes partidários.

Polícia não descarta envolvimento de 'alguém da família' de coronel no crime

Caseiro está preso e, segundo delegado, confessou participação no crime e ajuda de dois irmãos no assalto


Thaise Constancio - O Estado de S. Paulo
RIO - O delegado Pedro Henrique Medina, titular da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), disse na tarde desta terça-feira, 29, que não descarta a hipótese de “alguém da família” do tenente-coronel Paulo Malhães ter colaborado no assalto que culminou com a morte do militar, na quinta-feira, 24. Pela manhã, a polícia prendeu o caseiro Rogério Pires e informou que ele confessou participação no crime. Quando Malhães morreu, estavam na propriedade um trio de criminosos, o caseiro e a viúva do militar, Cristina Batista Malhães, segundo informações dadas pelas vítimas na sexta-feira.
O caseiro apontou à polícia a participação de seus irmãos, os pedreiros Rodrigo e Anderson Pires Teles. Um deles – a polícia não informou qual ¬ responde a processo pelo crime de estupro. Um homem encapuzado e outro que estava do lado de fora, para apoiar a fuga dos assaltantes, ainda não foram identificados.A morte do militar da reserva está sob investigação da Divisão de Homicídios. Quem assumiu o caso é o delegado William Pena Júnior. Depois de saber da declaração de Medina, Pena Júnior afirmou que “inicialmente não há envolvimento da família no caso”. “A viúva não se contradisse nos depoimentos.”
Rogério confessou o crime em depoimento na madrugada desta terça-feira, segundo a polícia. Inicialmente, disse ter sido feito refém pelos criminosos. Ele, no entanto, deu diferentes versões sobre o local em que teria sido mantido durante o assalto – ora afirmava que ficou isolado no quarto, ora contava que estava na sala. Outro indício que chamou a atenção dos policiais foi que um dos cachorros do sítio, extremamente feroz, não estranhou a presença dos assaltantes. “O plano era subtrair bens. Ainda apuramos se a morte foi acidental”, afirmou Medina.
À polícia, o caseiro disse que  gostava do coronel e não tinham a intenção de matar o militar, que confessou ter torturado e matado militantes de esquerda durante a ditadura. “Ele demonstra arrependimento quando fala da morte do coronel”, disse o delegado responsável pelo caso, William Pena Júnior.
De acordo com o caseiro, joias, armas e equipamentos levados da casa de Malhães estão com os irmãos. Ele não sabe o que foi feito do material do roubo. Rogério afirmou que não recebeu nada pela participação no crime – o dinheiro só seria dividido depois que os bens roubados fossem vendidos.
Rogério trabalhou no sítio de Malhães por sete anos. Após esse período, entrou em acordo com o patrão e deixou o emprego. O caseiro ficou afastado por seis meses e voltou ao antigo posto havia um mês e meia. O crime vinha sendo planejado desde o início de março, mas os delegados não têm certeza ser Rogério foi o mentor do plano.
Familiares dos três irmãos estiveram na DHBF para depoimento. Segundo Medina, eles não se surpreenderam quando souberam que haviam sido intimados para falar da morte do coronel Malhães. Os mandados de prisão de Rodrigo e Anderson já foram expedidos e eles são considerados foragidos da Justiça.
De acordo com Medina, a viúva do militar ficou “confusa” ao saber da participação do caseiro. “Ela passou a vida inteira no meio do mato, numa casa em que não havia vizinhos. Ela não tem vivência de cidade. Demorou um pouco para processar a informação.”

Acidente deixa 12 mortos em rodovia estadual do Maranhão

Colisão envolveu caminonhete e caminhão que era usado em transporte de pedras. Quatro pessoas ficaram feridas


Ernesto Batista - Especial para o Estado
SÃO LUÍS - Um grave acidente envolvendo uma caminhonete modelo GM D-10 e um caminhão que era usado para carregar pedras deixou um saldo de 12 mortos e quatro feridos. A tragédia aconteceu no inicio da noite desta terça-feira, 29, no interior do Maranhão em uma rodovia estadual (MA-303) que liga os municípios de Bacuri e Apicum-Açu, localizados a cerca de 527 quilômetros da capital São Luís.
Equipes de socorro foram encaminhadas pela Secretaria de Saúde, além do Serviço de Atendimento de Urgência (Samu) e de ambulâncias de cidades próximas. Algumas vítimas foram levadas para Bacuri e outras foram encaminhadas para municípios vizinhos.De acordo com as primeiras informações divulgadas, cerca de 30 estudantes, entre 15 e 18 anos de idade, eram transportados na caminhonete para o povoado de Mandragoa. Com a colisão, o veículo caiu em uma ribanceira. 
Os corpos das vítimas já foram resgatados do local do acidente, apesar da dificuldade de acesso.
Em nota de pesar, a governadora Roseana Sarney (PMDB) disse que está garantido apoio imediato e envio de equipes da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e Secretaria de Educação (Seduc) para o local. “Ficamos todos muito tristes com essa tragédia, que abala não só as famílias de Bacuri, mas de todo o Maranhão”, afirmou na nota.

terça-feira, 29 de abril de 2014

Estatística mostra que Sorocaba tem um homicídio a cada três dias


Crescimento no 1º trimestre foi de 121,4% comparado ao mesmo período de 2013


André Moraes
andre.moraes@jcruzeiro.com.br


O primeiro trimestre deste ano registrou 31 pessoas assassinadas em Sorocaba, o que dá uma média de um caso a cada três dias. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP/SP), referente ao período de janeiro a março, esse número é 121,4% maior do que o registrado no 1º trimestre do ano passado, quando 14 homicídios ocorreram na cidade. Somente o total de casos ocorridos no mês de março deste ano, que foram 17, superam os registrados nos três primeiros meses de 2013 (14) e também de 2012, com 15 ocorrências. Segundo o presidente da Comissão de Segurança Pública da 24ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Sorocaba, o advogado Claudinei Fernando Machado, essa situação demonstra uma ausência de ações mais efetivas de combate à criminalidade por parte do Governo do Estado.

O aumento no número de casos de homicídio foi grande entre fevereiro e março de 2014, conforme mostram os dados da SSP/SP. Há dois meses aconteceram 6 assassinatos em Sorocaba, subindo para 17 no mês passado. Em janeiro foram contabilizados 6 casos.

Além dos homicídios propriamente ditos, as tentativas de homicídio também cresceram na cidade. Se comparados os dados dos três primeiros meses de 2013 e 2014, o aumento foi de 32%. Foram 22 registros no ano passado e 29 neste ano. Em 2012 foram 28.

A Polícia Civil foi procurada, porém informou que a Secretaria de Segurança Pública do Estado não autoriza que os seus representantes comentem sobre as estatísticas de criminalidade. A pasta, então, foi contata, via assessoria de imprensa, mas não respondeu aos questionamentos até o fechamento desta edição. A reportagem também fez solicitação de entrevista à Polícia Militar, mas não houve retorno.

OAB: ausência do Estado
Para Machado, esse crescimento nas ocorrências de homicídio e de outros tipos de crime refletem uma "ausência" do Estado, que não investe o quanto deveria em ações que visam diminuir a criminalidade nas cidades paulistas. "Se o Estado se fizesse presente, aumentando o policiamento ostensivo, que deve ser exercido de forma mais atuante, isso poderia diminuir", analisa. Ele menciona uma possível falta de policiais, tanto militares quanto civis, em número suficiente para atuar numa cidade do porte de Sorocaba. "Nosso batalhão de Polícia Militar possui uma dotação funcional aquém da quantidade de policiais necessários. A Polícia Civil possui uma parcela de participação nisso. Os órgãos competentes deveriam pensar em uma forma de não sobrecarregar esses profissionais, porque profissional sobrecarregado não consegue dar conta do serviço, aumentando a chance de impunidade", afirma.

Segundo o presidente da Comissão de Segurança Pública da OAB, a falta de esclarecimentos de homicídios também ajuda a acentuar o número de ocorrências. "Casos não solucionados rapidamente tendem a cair na lista de casos não esclarecidos. Como temos poucos profissionais no setor de investigação de casos envolvendo morte, não seria o caso da administração pública aumentar a equipe responsável pela solução de casos de autoria desconhecida? Isso ajudaria a diminuir a sensação de impunidade", explica.

Outros crimes também apresentaram aumento

Os números de crimes violentos, como os roubos, também apresentaram aumento em Sorocaba. Os casos roubos de veículos, por exemplo, cresceram 24,1% entre 2014 e 2013, considerando os três primeiros meses de cada ano. Entre janeiro e março deste ano, foram 239 ocorrências desse crime, ante 174 em 2013. Já os roubos em geral tiveram aumento de 16,3%. Foram 562 entre janeiro e março de 2014 e 483 no mesmo período do ano passado. 

Conforme demonstram as estatísticas da Secretaria de Segurança Pública do Estado, os furtos em geral e especificamente de veículos também registraram aumento. Entre janeiro e março de 2013 foram 2.006 casos, subindo para 2.068 em 2014. Ou seja, um crescimento de 3%. Já o aumento de furtos de veículos foi ainda maior, de 7%. Foram registrados 683 no primeiro trimestre do ano passado e 732 neste ano. 

Dois crimes apresentaram queda em seus registros. No caso dos flagrantes de tráfico de entorpecentes, houve diminuição de 24,1% entre 2013 e 2014, já que foram 307 ocorrências no ano passado e 233 neste ano. Os registros de estupros caíram 40%, na comparação dos primeiros três meses de 2013 e 2014. Aconteceram 50 no ano passado e 30 neste ano. 

Primeiro assassinato do ano foi em 5 de janeiro

O primeiro caso de homicídio de 2014 em Sorocaba foi registrado no dia 5 de janeiro, conforme mostra notícia publicada pelo jornal Cruzeiro do Sul. Naquele dia, o ajudante geral Renato José Florêncio, de 28 anos, foi morto a tiros no bairro de Aparecidinha. Ele era evadido da penitenciária Danilo Pinheiro (P-1), no bairro do Mineirão, desde a saída temporária do dia dos pais do ano passado. Ele cumpria pena por dois roubos no regime semiaberto. O corpo de Renato foi encontrado por populares por volta das 21h, na rua Oscar Mascarenhas. A Polícia Militar foi chamada e já encontrou a vítima sem vida, com perfurações no peito e cabeça. 

Em fevereiro, no dia 14, o policial militar aposentado Adilson Lopes, 50, foi morto com vários tiros nas costas, pernas e braços, em frente a uma padaria do Jardim Prestes de Barros. A Polícia levantou que o policial aposentado conversava com um conhecido em frente à padaria, quando um Celta passou por duas vezes pela rua e na terceira parou. De dentro do carro saiu um homem que usava capuz para cobrir o rosto, que se aproximou de Adilson e o mandou virar de costas. Nesse momento, o conhecido que conversava com Lopes entrou na padaria pensando que se tratava de um assalto e ouviu o barulho dos disparos do lado de fora.

Já no mês passado, quatro pessoas foram assassinatos em um período de 24 horas na cidade. Na manhã do dia 18, o estudante universitário Eliezer Cleber Albertini da Silva, 19, e um colega não identificado na época foram encontrados mortos dentro de um carro no bairro do Éden, na Estrada dos Sete Alqueires. Os dois foram executados com tiros de pistola 9 milímetros dentro do Audi A3 pertencente ao estudante. Ele, que estava no banco do motorista, apresentava uma perfuração na nuca, duas no lado esquerdo da cabeça e uma no lado direito, e outra atrás de um dos ouvidos. Já o rapaz desconhecido foi encontrado com uma perfuração no pescoço, outra na parte traseira da cabeça, uma no ombro e outra numa das laterais da cabeça. 

Na noite daquele mesmo dia, Ivan de Souza Oliveira, e Anderson Lapa dos Santos, ambos com 25 anos de idade, estavam dentro de uma lanchonete na rua Quirino de Mello e foram surpreendidos por quatro homens ocupando duas motocicletas. Segundo o que foi apurado na ocasião do registro do homicídio, os criminosos já teriam chegado atirando, e as vítimas, mesmo feridas, tentaram se salvar saindo correndo pela rua. Os dois rapazes correram para lados opostos, mas ambos foram atingidos e morreram no local. 

E, ao que tudo indica, as estatísticas de homicídios do mês de abril também serão expressivas. Entre domingo e ontem, quatro pessoas foram mortas em Sorocaba. Um dos casos causou bastante comoção na cidade, que seria o assassinato do soldado Sandro Luiz Gomes, 35, que foi baleado por criminosos na zona norte. Ele foi sepultado ontem.

Ação social em Alumínio oferece aulas e acompanhamento a crianças

Amor foi criada há 15 anos, em Alumínio (SP).

Associação atende mais de 100 participantes na cidade.

Do G1 Sorocaba e Jundiaí
Comente agora
Amor  (Foto: Reprodução/TV TEM)Projeto ajuda a aliviar o impacto da falta de oportunidades (Foto: Reprodução/TV TEM)
Nas aulas de música, a pequena Geandra, de 9 anos, encontrou uma vocação. Nota a nota, a menina aprende a tocar violão para, mais tarde, cantarolar. Ela vê nas aulas a esperança de um futuro melhor e já sabe até o que quer ser quando crescer: cantora.
Geandra é uma das atendidas pela Associação de Assistência e Amparo ao Menor de Alumínio (SP), a Amor. No local, crianças e jovens carentes da cidade participam de atividades para diminuir o impacto e as dificuldades que a falta de oportunidades pode causar.  "Essa sensação de união, sociedade e socialização ajuda as crianças a aprenderem a conviver com o diferente e respeitar o próximo", explica o professor de música da unidade, Bruno de Arruda.
Mais de 100 atendidosAlgumas crianças chegaram ao local ainda pequenas. É o caso de Geisilane que, hoje com 8 anos, já sabe bem o que veio aprender na associação. "Ensina as pessoas a praticar o bem", conta. Outra que está na entidade desde cedo é a Talita e, a cada passo da dança que aprende, mais grata ao projeto ela fica. "Aqui é um lugar que me faz bem, faz eu me sentir na minha casa. Tudo que a gente sente, tanto de mau quanto de bom, a gente expressa no balé e nas aulas."
Criado pelo marido da coordenadora social Sônia Maria de Arruda, há 15 anos, o projeto tem continuidade agora com ela e os filhos, depois da morte do fundador. "A ideia é realmente de melhorar a vida das crianças, o futuro delas pra sairem deste perfil", continua.
Mais de 100 pessoas são atendidas pela ação social hoje, que oferece aulas de artesanato, balé, música, reciclagem e educação infantil todos os dias. Em seguida, as crianças ainda recebem banho e alimentação. A associação conta com a verba de um condomínio de empresas, que fica ao redor da sede. Na equipe estão um médico, uma dentista, uma psicóloga e enfermeira e uma cabeleireira.