sábado, 31 de maio de 2014

Gasto com cigarro atinge R$ 76 milhões

Despesa com o vício este ano será 17,4% maior que 2013, revela pesquisa


O Dia Mundial Sem Tabaco é comemorado hoje, porém enquanto os poderes públicos e os cidadãos lutam para fazer com que menos pessoas se rendam ao vício do cigarro, os números de consumo desse produto continuam aumentando em Sorocaba. De acordo com uma pesquisa feita pela empresa IPC Marketing e Consultoria, os sorocabanos deverão gastar cerca de R$ 76 milhões com a compra de cigarros neste ano. Esse dado é 17,4% maior do que o registrado em 2013, quando a estimativa de consumo do produto foi de cerca de R$ 65 milhões. Se considerada a população estimada para Sorocaba em 2014, que é de 615.955 habitantes, cada pessoa deverá gastar R$ 123 com cigarros. Já em 2013, se dividida a projeção de gastos com a população (608.269), o gasto por pessoa foi de R$ 106.

Segundo o estudo feito pela IPC, os gastos com cigarros em Sorocaba deverão ser maiores do que os realizados com produtos essenciais. Por exemplo, enquanto os sorocabanos irão desembolsar cerca de R$ 76 milhões com um produto nocivo à sua saúde, eles deverão gastar cerca de R$ 70 milhões com produtos de limpeza. A compra de cigarros também está acima dos valores que serão gastos com livros e materiais escolares, que ficarão em torno de R$ 60 milhões.

A pesquisa ainda demonstra qual será a classe social que comprometerá mais o seu orçamento com a aquisição do produto feito a partir do tabaco e outros componentes químicos. A classe B possui destaque, já que deverá gastar R$ 35.906.726 para esse fim. Logo depois vem a classe C, com gastos de R$ 28.336.174. Com valores estimados a serem desembolsados bem menores, a classe A aparece em seguida, com R$ 9.174.308. Por fim, a classe DE deverá gastar R$ 2.565.850.

Segundo o Critério de Classificação Econômica Brasil, a divisão de classes segue atualmente os seguintes parâmetros: A1 (renda média familiar acima de R$ 9.263), B (R$ 5.241), C (R$ 1.685) e DE (R$ 776).


Preço do cigarro


No final do ano passado, a maior indústria de cigarros do Brasil, a Souza Cruz, divulgou um aumento de 14% no valor de seus produtos para ser aplicado no início deste ano no Estado de São Paulo. O percentual é próximo ao do crescimento do consumo de Sorocaba do produto entre 2013 e 2014, que é de 17,4%. Atualmente, o maço de cigarro mais barato é vendido a R$ 4 em todo o País, segundo os dados divulgados pelas empresas do setor à Receita Federal.

Apesar disso, o número de fumantes vem caindo ano a ano no País. O Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), feito pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), indicou que o número de fumantes caiu 20% no Brasil em 5 anos. Em 2006, 19,3% da população brasileira declarou ser fumante, índice que caiu para 15,6% em 2012. Estima-se que 20 milhões de brasileiros são viciados em cigarro atualmente.


Números expressivos


O economista e professor da Universidade de Sorocaba (Uniso), Marcos Antônio Canhada, considera que o valor estimado para o consumo de cigarro na cidade neste ano é bastante expressivo e ainda faz um cálculo, para demonstrar o impacto no orçamento familiar dos sorocabanos. "Considerando o custo médio de R$ 6 por unidade de maço de cigarro, com apenas o consumo médio de uma unidade por dia, um consumidor de cigarros pode gastar cerca de R$ 4 mil por ano", destaca. Ele ainda constata que os gastos com esse produto representam 0,5% da estimativa total de potencial de consumo da cidade, que seria de R$ 14 bilhões. "Apesar da tendência de queda no consumo de cigarro, que ocorre por diminuição da propaganda, isso ainda demonstra um volume de negócio bastante grande dentro da economia".

Apesar disso, o professor da Uniso relata que essas estatísticas são subestimadas, por conta do mercado ilegal de cigarros. "Não se tem dados, mas provavelmente signifique um grande volume de comercialização oculto, em função dos níveis elevados de preço do cigarro no mercado legal", explica. Somente em uma semana, no mês de abril, a Polícia apreendeu mais de 4 mil maços de cigarros contrabandeados na cidade.

O diretor acadêmico da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação (Esamc) de Sorocaba, Maurício Luis Marra, que fez uma dissertação de Mestrado em cima das campanhas antitabagistas, relata que os números não o surpreendem, porém diz se incomodar com os valores gastos na Saúde, para poder tratar os viciados em cigarros, que não são divulgados. Os órgãos oficiais de Saúde, como o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS), não possuem pesquisas que demonstrem o valor gasto neste setor para o tratamento de doenças acarretadas pelo fumo.

Apesar disso, ele considera que os poderes públicos vêm fazendo sua parte, já que o cerco aos fumantes tem sido cada vez maior, contribuindo para desestimular as pessoas a se renderem ao cigarro. "Acredito então que, por um lado as campanhas antitabagismo surtem certo efeito, mas precisamos pensar agora em outras campanhas voltadas para o fim do vício", ressalta. Ele indica que o caminho seria investir em ações que mostrem o impacto do consumo de cigarros para a sociedade, em termos financeiros e sociais.

Esqueleto artificial pronto para Copa

Folha de S.Paulo

O esqueleto artificial que possibilitará a um paraplégico caminhar no Fielzão e dar o pontapé inicial da Copa do Mundo, em 12 de junho, passou pelo último teste nesta semana e conseguirá realizar os movimentos planejados, segundo o neurocientista Miguel Nicolelis, que comanda o projeto.
A estrutura robótica, chamada de exoesqueleto, permitirá que a pessoa paraplégica fique em pé, caminhe e faça movimentos com comandos vindos do cérebro do paciente.
Agora, a equipe de Nicolelis vai tratar com a Fifa sobre a logística da demonstração.
"Agora nós vamos nos preparar para as condições de fazer [o exoesqueleto andar] num campo de futebol, com todos os dados que nós coletamos ao longo desses meses", disse.

Trem do metrô anda com as portas abertas por 8 estações

Amanda Gomes

do Agora
Um trem da linha 1-azul do Metrô andou com as portas abertas por oito estações, por volta das 17h da última quinta-feira. A composição saiu da estação Jabaquara e foi até a Ana Rosa sem que ninguém fechasse os acessos.
Um vídeo feito por uma passageira que estava no vagão mostra que o trem parava nas estações normalmente, e saía das plataformas com as portas abertas. As imagens, exibidas pelo telejornal Bom Dia São Paulo, da TV Globo, mostram o trajeto percorrido pela composição. Como o vagão estava vazio, não houve acidente.
Quem controla as portas é o condutor e, geralmente, a composição não deixa a estação enquanto todos os acessos estiverem fechados.
Resposta
O Metrô disse que não houve falha operacional ou defeito no sistema de portas e sim um erro do operador do trem. A empresa disse que o funcionário foi punido, mas não explicou qual foi a punição.
O Metrô não explicou o fato de o trem andar por oito estações e nenhum funcionário parar a composição no trajeto.
A empresa disse que a versão do sindicato de que o trem estava sendo utilizado para treinamento para uma possível paralisação não é verdadeira e o que aconteceu foi negligência do condutor, que não realizou a checagem obrigatória no trem antes de colocá-lo em serviço.

São Paulo terá centro de acolhimento para imigrantes e refugiados

 Agência Brasil
O governo de São Paulo e a prefeitura da capital anunciaram na noite de hoje (30) a criação de um centro para atendimento a imigrantes e refugiados. A divulgação foi feita na abertura da 1ª Conferência Nacional sobre Migração e Refúgio (Comigrar), que reúne 650 representantes de todo o país e pretende discutir políticas públicas para o acolhimento de quem necessitar.
O  Centro de Integração e da Cidadania do Imigrante vai oferecer serviços como documentação, intermediacão de trabalho, formação (profissional e em idiomas) e orientação jurídica, além de atendimento de saúde e apoio psicológico aos recém-chegados.
Segundo o secretário municipal de Direitos Humanos, Rogério Sotili, o centro dará abrigo para até 200 pessoas com atendimento em quatro línguas: inglês, francês, espanhol e árabe. O governo federal prestará apoio por meio dos ministérios da Justiça e do Desenvolvimento Social, além da Polícia Federal.
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que o Brasil está se adequando para lidar com o aumento do fluxo migratório, ligado aos avanços econômicos e sociais dos últimos anos. “Isso deu nascimento a um problema novo. Nossa estrutura administrativa não estava preparada para isso. Agora, diante dessa realidade, o Brasil cresce, se desenvolve socialmente, nós temos que nos aparelhar para essa nova realidade; e estamos nos aparelhando para isso”, ressaltou.
No início do mês, a prefeitura paulistana já havia aberto um abrigo emergencial e provisório para receber os haitianos que começaram a chegar em grande número à cidade. O fluxo começou depois do fechamento da estrutura que recebia essas pessoas, no Acre. O aumento inesperado superlotou o abrigo mantido em São Paulo, pela Igreja Católica, para receber imigrantes.
Para evitar esses problemas, o secretário nacional de Justiça, Paulo Abrão, anunciou que será elaborado um plano de “saída organizada” para os haitianos que chegarem por terra à Região Norte. De acordo com ele, o governo federal assinará em breve um convênio para criação de um centro de acolhimento em Rio Branco (AC).
Abrão destacou que as embaixadas do Brasil no Peru e no Equador foram orientadas a elevar o número de concessão de vistos para haitianos. “É necessário estimular que esse ingresso ocorra pela via regular, pois, ela representa maior segurança no trânsito dos migrantes”, salientou.
Para a secretária estadual de Justiça e Defesa da Cidadania, Eloísa Arruda, as medidas são importantes para que os governos atendam as pessoas antes que elas sejam vítimas do crime organizado. “[É preciso] entender que o imigrante é um elo frágil que ingressa no território nacional. Ele se torna vulnerável ao tráfico de pessoas, ao trabalho escravo e ao tráfico de drogas. Nós queremos acolher essas pessoas, não ter de socorrê-las”.
Eduardo Cardozo destacou ainda que o Ministério da Justiça está preparando uma mudança na lei que trata da situação dos estrangeiros. A atual foi criada durante a ditadura militar, sendo, em alguns pontos, restritiva aos direitos dessas pessoas. “Não é fácil fazer uma nova lei para estrangeiros. Nós temos uma comissão de especialistas debatendo, e agora nós queremos abrir uma ampla discussão sobre ela para que o Brasil possa estar preparado, ao longo do próximo período, para ter, evidentemente, o tratamento aos imigrantes que reconheça os princípios culturais vigentes desde a Constituição de 1988”.

Filho de advogado carbonizado teria sido morto com gravata do pai

Jovem estava com as mãos amarradas e a boca amordaçada na sala da casa da família, em um sítio, e tinha marcas no pescoço que sugerem morte por asfixia


Luciano Bottini Filho - O Estado de S. Paulo
SÃO PAULO - O filho do advogado encontrado carbonizado na manhã de quinta-feira, 28, na zona sul de São Paulo, teria sido asfixiado com uma gravata do pai na sua residência. De acordo com a polícia, o corpo de Igor dos Santos, de 16 anos, foi achado na casa da família, a um quilômetro da Estrada Engenheiro Marsilac - onde o corpo de Héldio Livingstone Nogueira, de 68 anos, foi retirado do porta-malas de um Fiat Marea incendiado.
Segundo a polícia, o garoto pode ter sido assassinado ao tentar resistir aos criminosos. Seu pai foi levado da casa e encontrado carbonizado dentro do veículo, mas por causo do estado irreconhecível do corpo após as chamas, ainda não se sabe como ele foi morto. Uma perícia deverá confirmar a identidade do corpo.O jovem estava com as mãos amarradas e a boca amordaçada na sala da casa da família, em um sítio. O rapaz tinha marcas no pescoço que sugerem morte por asfixia. A causa da morte é ainda estudada por peritos do Instituto Médico Legal (IML).
A Polícia Militar encontrou o corpo do pai às 7h30 de quinta-feira, depois que o Corpo de Bombeiros apagou o incêndio do veículo, que estava encostado na beira da pista, em um local ermo. Com a placa do carro, a polícia foi ao endereço do advogado, onde estava o corpo do filho.
Vizinhos disseram à polícia que viram pai e filho chegarem em casa na quarta-feira, 27, por volta das 22h. Outro vizinho afirmou que notou que o veículo do advogado estava queimando às 6h de quinta-feira.
O Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, investiga o crime. Segundo a polícia, uma outra advogada, Simone Gomes Christie, que tinha parceria com Nogueira, ficou desaparecida em março até seu corpo ser encontrado carbonizado dentro de um carro há cerca de dois meses. Ela era de Embu-Guaçú, na Grande São Paulo. A polícia agora apura se as mortes têm ligação
Inicialmente, o inquérito sobre a morte de Simone apontava para crime passional, com um namorado como suspeito. Agora, a polícia tenta estabelecer se os advogados tinham problemas com clientes ou o crime organizado. Segundo a polícia, em ambas as mortes, há sinais de que o autor do crime pretendia chamar a atenção para o assassinato. A morte de Simone passará a ser investigada também pelo DHPP.
Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Simone e Nogueira não eram sócios, mas colaboravam entre si. Nogueira atuava na área trabalhista e criminal e desde a morte da advogada passou a trabalhar em casa. Formado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Livingstone era natural de Santarém, no Pará.
O presidente da Comissão de Segurança Pública da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional de São Paulo (OAB-SP), Arles Gonçalves Junior, disse que "são óbvios os sinais de execução". A entidade terá uma comissão para acompanhar o inquérito. O Ordem está apurando se os advogados tinham registro de infrações éticas.

Polícia pede prisão de PMs por execução

Vídeo mostra que suspeito morto na zona sul estava desarmado durante abordagem

Rafael Italiani - O Estado de S. Paulo
SÃO PAULO - A Polícia Civil pediu a prisão temporária de dois policiais militares suspeitos de matar um suspeito que estava desarmado, no dia 12 de maio, em Parelheiros, na zona sul, durante uma abordagem policial. O pedido foi feito na tarde desta sexta-feira, 30, após o Bom Dia Brasil, da Rede Globo, mostrar imagens feitas por uma testemunha em que a vítima aparece desarmada.
"Filma aí, moleque. Eles (os policiais) vão me matar. Eu vou morrer", afirma na gravação. Na sequência, Conceição corre e é perseguido pelo policial que está armado com uma pistola. As imagens não mostram o que acontece na sequência, mas é possível ouvir o barulho de luta corporal e um tiro. Ao escutar o disparo, a testemunha corre para um beco e o celular capta o som de um segundo tiro.A suspeita do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) é a de que Conceição tenha sido executado pelo soldado Uilian Logati Moreira, 32 anos, e pelo cabo Marco Tulio Prates Leme de Souza, de 41 anos. Nas imagens, feitas com um telefone celular, Conceição fala para que a testemunha continue gravando a abordagem feita por Moreira.
Para a Ouvidoria das Polícias do Estado de São Paulo, o vídeo mostra um "total desvio de conduta" dos policiais. "É uma denúncia de execução. Por isso, vamos pedir relatórios de necropsia e perícia , notificar a Corregedoria de PM e solicitar acompanhamento do Ministério Público. Esses policiais precisam ser afastados imediatamente das ruas", afirmou o ouvidor Júlio César Fernandes Neves.
Investigadores do DHPP afirmaram que as imagens surgiram apenas agora. "A informação que chegou é a de que um parente da vítima recebeu as imagens e procurou a imprensa", afirmou um policial. Na tarde desta sexta, o arquivo de vídeo foi levado ao DHPP.
De acordo com o boletim de ocorrência registrado no dia em que Conceição foi morto, os dois PMs estavam perseguindo um veículo Mercedez Benz, modelo Classe A, que tinha sido roubado três dias antes, na Cidade Dutra, também na zona sul. A vítima era um entregador de 65 anos que foi cercado e dominado na rua onde mora por quatro suspeitos. Os dois policiais afirmaram que faziam uma ronda em Parelheiros quando se depararam com o veículo ocupado por três suspeitos.
O soldado e o cabo disseram que o motorista do carro roubado fugiu ao perceber a presença dos PMs. Durante a perseguição, o suspeito perdeu o controle e bateu no portão de uma residência. Gilson Santos Barbosa, de 22 anos, foi preso em flagrante e um segundo suspeito fugiu.
Defesa. Na época, os PMs afirmaram que, enquanto o cabo "providenciava apoio para a detenção" de Barbosa, o soldado Logati perseguia Conceição. Ainda de acordo com a versão dos policiais, a vítima sacou um revólver. Para se defender, os dois PMs abriram fogo. As pistolas calibre .40 dos policiais foram apreendidas. O suspeito, segundo o boletim, estava com um revólver calibre 38.
A Polícia Militar diz que "não admite" desvios de conduta e o caso está sob investigação da Corregedoria da PM. Segundo a corporação, os dois PMs se apresentaram nesta sexta, mas ainda não havia a informação se os dois policiais foram detidos.

Governo do Rio autoriza PM a usar balas de borracha em atos durante a Copa

Em outubro, após denúncias de violência policial na repressão a protestos, o comando da PM havia proibido o uso da munição de borracha


Felipe Werneck - O Estado de S. Paulo
RIO - A Polícia Militar do Rio está autorizada a usar balas de borracha em manifestações de rua durante a Copa do Mundo, disse nesta sexta-feira, 30, o responsável por Grandes Eventos na Secretaria de Segurança, Roberto Alzir. Em outubro, após denúncias de violência policial na repressão a protestos, o comando da PM havia proibido o uso da munição de borracha.
Policiais revistam manifestantes durante protesto no Rio de Janeiro - Antonio Lacerda/EFE
Antonio Lacerda/EFE
Policiais revistam manifestantes durante protesto no Rio de Janeiro

"Não há restrição ao uso de balas de borracha no Rio", afirmou Alzir em entrevista coletiva no Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR). No entanto, de acordo com boletim interno da PM assinado pelo comandante da corporação, coronel José Luís Castro Menezes, a munição de borracha não deve ser utilizada "sob nenhum pretexto". A determinação teve efeito: desde outubro, a PM deixou de usar esse tipo armamento em manifestações.
Perguntado pelo Estado sobre a norma, Alzir primeiro negou que ela exista. Depois, no fim da entrevista, ele voltou ao tema e afirmou que se tratava apenas de "uma orientação, uma estratégia" do coronel Castro. Para Alzir, o recurso seria usado em "quase último caso". "Fica sob análise da PM a conveniência ou não da utilização. A ideia do uso da força é ser sempre gradual e a bala de borracha está bem próxima do armamento letal. A PM procura usar um escalonamento até chegar ao uso dela, que não tem sido necessário. Mas num cenário mais agudo e mais complexo, que esperamos não encontrar durante a Copa, não haveria impedimento legal para o uso de balas de borracha."
Exército. Alzir e o delegado federal Anderson Bichara, coordenador do CICCR, anunciaram que a presidente Dilma Rousseff já autorizou o uso das Forças Armadas no policiamento ostensivo durante a Copa. Os militares devem acompanhar o deslocamento da seleção brasileira no domingo, de Teresópolis para o Aeroporto do Galeão, além de policiar pontos turísticos, hotéis e rotas de delegações. Exército, Marinha e Aeronáutica colocaram 5.700 homens à disposição do governo do Rio, que terá o reforço de 2.900 PMs recém formados.
"A Copa é um evento que não pode parar. As medidas necessárias serão adotadas para controlar as manifestações, dentro da técnica e do diálogo possível. Se descambarem para a violência, a polícia está apta a usar a força necessária. Teremos a maior operação de segurança da história do Rio", disse Alzir.

Polícia prende irmão de caseiro envolvido em morte de coronel da ditadura

De acordo com investigadores, Paulo Malhães, que confessou torturas de militantes políticos, foi morto em tentativa de assalto planejada por seu empregado e parentes dele


Ronald Lincoln Jr - O Estado de S. Paulo
RIO - Anderson Pires Teles, um dos acusados pela morte do tenente-coronel reformado Paulo Malhães, em abril passado, foi preso na manhã desta sexta-feira (30) por policiais civis da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense. O suspeito é irmão do caseiro Rogério Pires, que já está preso sob a acusação de envolvimento no caso. A polícia segue procurando Rodrigo Pires, também irmão do caseiro e suspeito de ter participado da morte do militar.
Coronel Paulo Malhães - Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão
Coronel Paulo Malhães
Segundo a Polícia Civil, o caseiro e seus irmãos invadiram o sítio da vítima, em Nova Iguaçu (cidade na Baixada Fluminense), para roubar armas. O oficial acabou morrendo. A polícia suspeita de latrocínio (roubo seguido de morte), mas Malhães pode ter sofrido um infarto durante o assalto. Há ainda a hipótese, defendida por representantes de organizações defensoras dos direitos humanos, de Malhães ter sido morto por saber muito sobre a repressão política durante o regime militar, o que caracterizaria queima de arquivo.
Malhães morreu pouco depois de ter admitido participação em atos de tortura e morte de presos políticos, quando era oficial da ativa do Exército. 

Dirceu terá maior chance de trabalhar após saída de Barbosa, diz Falcão

Presidente do PT lembra que há jurisprudência que garante autorização a presos em regime semiaberto que ainda não cumpriram um sexto da pena; presidente do Supremo pensa o contrário


Ana Fernandes - Agência Estado
São Paulo - O presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão (SP), disse nesta sexta-feira, 30, acreditar que, após a saída do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu terá maior chance de conseguir autorização para trabalhar.
"Embora o ministro Marco Aurélio tenha recusado, liminarmente, eu acredito que pode predominar no Supremo a orientação que vigora há muitos anos de que aqueles que são condenados ao regime semiaberto têm o direito de trabalhar", disse Falcão.
Na terça-feira, 27, Mello rejeitou ação na qual o partido pedia ao STF que reconhecesse o direito ao trabalho de presos do sistema semiaberto, independentemente do tempo de pena cumprido.
Em decisão anterior, Barbosa havia negado a Dirceu a autorização de trabalhar, com base no artigo 37 da Lei de Execuções Penais, que dá permissão para a atividade externa apenas a partir de cumprimento mínimo de um sexto da pena.
"Nós fizemos, através do advogado em Brasília, uma consulta ao Supremo sobre a validade ou não do artigo 37", afirmou o presidente nacional do PT e deputado estadual por São Paulo, dizendo que ainda espera resultado dessa consulta.
Sobre uma possível decisão favorável ao direito de Dirceu trabalhar fora da prisão, disse: "Seria uma situação que tem prevalecido no Judiciário brasileiro e, estranhamente, foi modificada agora com o despacho monocrático do ministro Joaquim Barbosa."
Falcão não quis avaliar a atuação do presidente do STF, mas comentou as especulações em torno dos próximos passos de Barbosa. "Li nos jornais que ele pretende ver a Copa e ir para o exterior depois, não participando do processo político nacional."
Questionado se isso seria uma boa notícia para a legenda, evitando a aproximação da figura de Barbosa a candidatos de oposição à presidente Dilma Rousseff (PT), pré-candidata à Falcão reeleição, respondeu: "Isso não é nem positivo nem negativo. É um direito dele ter posições políticas, fazer o que ele bem entender".
Falcão foi inquirido, em tom de brincadeira, se aceitaria uma filiação de Barbosa ao PT. "Eu só respondo essa questão se houver um pedido de filiação, o que até o momento não ocorreu. As pessoas que queiram aceitar o programa do PT podem se filiar livremente." 

Defesa de doleiro pede anulação de provas da Operação Lava Jato

O argumento é que o juiz responsável pelo caso já se declarou suspeito em investigação conexa a Youssef


Mariângela Gallucci - O Estado de S. Paulo
Brasília - Advogados do doleiro Alberto Yousseff pediram nesta sexta-feira, 30, ao Supremo Tribunal Federal que sejam anuladas as provas obtidas pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investiga suspeitas de existência de um suposto esquema de lavagem de dinheiro que pode ter ultrapassado a cifra de R$ 10 de bilhões.
A defesa do doleiro alega que o juiz da 13ª. Vara Federal em Curitiba, Sérgio Moro, não poderia ter atuado no caso. O argumento é que em 2010 o magistrado se declarou suspeito por foro íntimo para conduzir uma investigação conexa envolvendo Yousseff. Por causa disso, conforme os advogados, o juiz estaria impedido de atuar no caso.
Yousseff e outros 11 investigados foram presos em fevereiro na Operação Lava Jato. Durante as apurações, a Polícia Federal apontou indícios de envolvimento de congressistas com o doleiro. Entre eles, o deputado federal André Vargas (sem partido-PR). 

Ministro da Justiça diz que não aceitará ‘abusos’ em protestos

Cardozo voltou a dizer que forças de segurança terão postura firme; para ele, legado da Copa será ação conjunta da polícia

Jorge Macedo - O Estado de S. Paulo
BRASÍLIA - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, reforçou nesta sexta-feira, 30, que as forças policiais brasileiras deverão ter uma postura firme durante a Copa do Mundo e que não aceitará nenhuma forma de abuso nas manifestações. A declaração foi dada na cerimônia de inauguração do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICR) do Ceará, em Brasília.
Cardozo lembrou que, pela primeira vez, todas as forças de segurança vão atuar em conjunto - André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão
Cardozo lembrou que, pela primeira vez, todas as forças de segurança vão atuar em conjunto

Segundo o ministro, o plano de segurança para o Mundial permanece o mesmo, mas o governo federal poderá reforçar o efetivo no Estados. "Ele (o plano) segue intocado em todos os pilares. O que oferecemos foi uma complementação aos governadores por meio das Forças Armadas. A decisão caberá a eles, os Estados são autônomos para decidir essa questão."
Cardozo lembrou que, pela primeira vez na história, todas as forças de segurança - Polícias Federal e estaduais, Exército e Ministério Público - vão atuar conjuntamente. "Se alguém tem dúvida de que a Copa do Mundo deixará para os brasileiros algum resultado, basta ver este centro de comando e controle. Na verdade, nunca houve integração entre as polícias, a Copa do Mundo está oferecendo a condição para isso."
Com relação a série de manifestações indígenas em Brasília ao longo da semana, Cardozo foi enfático: "O ministério tem uma postura clara, queremos dialogar e negociar. O problema é que alguns radicais não querem isso", afirmou. "Sempre tem alguém que quer incendiar, apagar a fogueira com querosene. Preferem ir à Justiça, esperar 30 ou 40 anos pela decisão sobre a propriedade de terras", criticou o ministro.
Manifestação. O Distrito Federal teve um novo protesto nesta sexta. Com gritos ofensivos contra a Fifa, um grupo de cerca de 500 pessoas se reuniu no Museu da República às 18h e marchou rumo ao Estádio Mané Garrincha.
A manifestação provocou confusão no trânsito da capital federal mas, ao contrário do ocorrido na terça-feira, o ato foi pacífico e não houve registro de feridos. A Polícia Militar isolou três das seis faixas do Eixo Monumental e acompanhou o grupo por todo o trajeto. O trânsito voltou ao normal cerca de uma hora após o início do protesto.

Saída de Barbosa provoca debate sobre indicações ao STF




DAIENE CARDOSO; COLABOROU FELIPE RECONDO - Agência Estado
A aposentadoria do ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), trouxe novamente à tona a discussão sobre o modelo de indicação para a mais alta Corte do País. A presidente Dilma Rousseff fará sua quinta indicação para o STF. E caso a presidente se reeleja em outubro deste ano, o tribunal terá 10 dos 11 ministros indicados pelo PT. Gilmar Mendes será o único que não chegou à Corte pelas mãos do ex-presidente Lula ou de Dilma.
Joaquim Barbosa anunciou que vai se aposentar da Corte mais alta do país ao final de junho - Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão
Joaquim Barbosa anunciou que vai se aposentar da Corte mais alta do país ao final de junho
Só na Câmara dos Deputados, pelo menos sete projetos incluem a participação de entidades e até mesmo do Parlamento no sistema de substituição de ministros. O deputado Vieira da Cunha (PDT-RS) é o autor de uma das Propostas de Emenda à Constituição (PEC) em trâmite na Casa. Apresentado em 2009 à pedido de uma entidade da magistratura, a PEC cria a obrigatoriedade de formação de uma lista com seis nomes indicados pelos ministros do próprio STF. A PEC estabelece também a idade mínima de 45 anos para os candidatos para a vaga de ministro e determina que seja um juiz de carreira. "Minha ideia é aperfeiçoar o sistema", diz o pedetista.
Cunha critica o atual sistema que, em sua opinião, dá poder à Presidência da República de escolher livremente o ministro do STF. "O fato de um chefe de Poder indicar, a seu critério, os membros da alta Corte, coloca em risco essa independência (de Poderes)", afirmou. Seu projeto, no entanto, garante ao Executivo a palavra final sobre o processo de escolha. O deputado Fábio Trad (PMDB-MS), segundo vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, também condena a "contaminação" do sistema de escolha por influência "político-partidária". Ele defende que entidades como a OAB, Ministério Público e o próprio Judiciário indiquem nomes à Presidência da República. "Inibiria essa contaminação e daria mais legitimidade ao processo", defendeu.
Com a saída de Barbosa, Trad acredita que pode aumentar a pressão no Congresso para a aprovação de mudanças no sistema. "Na CCJ, os deputados sempre se mostraram interessados neste assunto", afirmou. Já o deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) não vê grandes chances do tema entrar em pauta neste ano em virtude do calendário eleitoral e de outras prioridades do Congresso.
O tucano destaca que é possível aperfeiçoar os critérios do sistema, mas defende que a prerrogativa de escolha continue nas mãos da Presidência da República, como já acontece em vários países. "Eventuais vícios dos sistema não é pelo modelo de escolha, que é parecido com o dos Estados Unidos. Os problemas passam pela qualidade da escolha, mas não precisamos de alteração legal para resolver isso."
O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), João Ricardo dos Santos Costa, defende a proposta da entidade de uma cota destinada a juízes de carreira no Supremo. "O Supremo é uma Corte política, mas seria importante que aquele juiz que começou lá na comarca do interior do Brasil e que passou por todas as instâncias pudesse levar sua experiência para o STF", afirmou. 

Coreia do Norte sentencia sul-coreano a trabalhos forçados por espionagem

Reuters

A Coreia do Norte sentenciou um missionário sul-coreano nesta sexta-feira à prisão perpétua e a trabalhos forçados depois de condená-lo por espionagem e por criar uma igreja clandestina.
Kim Jong Uk foi exibido em um evento televisionado em fevereiro - Kyodo/Reuters
Kyodo/Reuters
Kim Jong Uk foi exibido em um evento televisionado em fevereiro

A agência de notícias estatal norte-coreana KCNA relatou que o sul-coreano, identificado como Kim Jong Uk, admitiu sua culpa em um julgamento realizado nesta sexta-feira.
A sentença se seguiu a uma troca de disparos entre forças do norte comunista e do sul, aliado do Ocidente. Os dois lados ainda estão tecnicamente em guerra desde que o conflito de 1950-53 foi encerrado por uma trégua.
“O acusado admitiu todos os seus crimes. Ele tentou se infiltrar em Pyongyang depois de cruzar a fronteira ilegalmente com o objetivo de criar uma igreja clandestina e reunir informações sobre os assuntos internos da Coreia do Norte, enquanto atraía seus habitantes para a Coreia do Sul e espionava a Coreia do Norte”, afirmou a KCNA.
Kim, um missionário cristão, foi exibido em um evento televisionado em fevereiro e confessou espionar para a agência de inteligência sul-coreana, assim como as atividades da sua igreja. Pyongyang rejeitou pedidos de Seul para soltá-lo e para permitir que sua família o visite.
(Reportagem de Ju-min Park) 

Repórter ucraniano é acusado de agressão depois de atingir Brad Pitt




Reuters
O ucraniano que atingiu o ator Brad Pitt no rosto na pré-estreia do filme “Malévola” em Los Angeles será acusado de ofensa física e agressão, informaram autoridades nesta sexta-feira.
Vitalii Sediuk está sendo mantido preso, e a fiança foi estabelecida em 20 mil dólares - Kevork Djansezian/Reuters
Kevork Djansezian/Reuters
Vitalii Sediuk está sendo mantido preso, e a fiança foi estabelecida em 20 mil dólares

Vitalii Sediuk, repórter de TV ucraniano de 25 anos que carrega a má fama de dar trotes em celebridades, irá receber quatro acusações que incluem atividade ilegal e interferência em um evento cinematográfico, disse o porta-voz do gabinete da promotoria de Los Angeles, Rob Wilson.
Sediuk pulou uma cerca e invadiu o tapete vermelho onde Pitt estava com sua mulher, a atriz e protagonista do filme Angelina Jolie, para dar autógrafos aos fãs.
A polícia afirmou que Sediuk atingiu Pitt no rosto e foi preso imediatamente. Ele está sendo mantido preso, e a fiança foi estabelecida em 20 mil dólares, de acordo com os registros da prisão do condado de Los Angeles.
Pitt não ficou gravemente machucado e continuou assinando autógrafos depois do incidente, mas foi emitida uma medida cautelar de restrição contra Sediuk. 
Entre outras ousadias, Sediuk já tentou se enfiar debaixo do vestido da atriz America Ferrera enquanto ela posava para fotos no Festival de Cannes, invadiu o palco durante o discurso de agradecimento da cantora Adele no Grammy e recebeu um tapa de Will Smith depois de beijar o ator em uma estreia em Moscou.
(Reportagem de Piya Sinha-Roy) 

Após PIB fraco, Mantega culpa seca, inflação e câmbio

O ministro citou a seca, a recuperação lenta da economia internacional, o câmbio e o aumento da inflação para explicar o PIB de 0,2% no 1º trimestre

Economia & Negócios e Agência Estado
O ministro disse que o desempenho do PIB poderia ter sido melhor se a seca não tivesse prejudicado algumas culturas na agricultura. Apesar disso, o setor agropecuário contribui com 3,6% para o crescimento de 0,2% do PIB no primeiro trimestre, na margem.SÃO PAULO - A lista de fatores negativos que atrapalharam o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre foi grande, segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega. O ministro citou a seca, a recuperação lenta da economia internacional, o baixo crescimento da Europa, a volatilidade cambial e o aumento da inflação. O PIB do primeiro trimestre sofreu desaceleração, apresentando crescimento de 0,2%.
Mantega disse que o desempenho do PIB no primeiro trimestre foi prejudicado por alguns fatores negativos. Entre os fatores citados por Mantega estava a demora além do esperado da recuperação da economia internacional. "Os EUA apresentaram queda de 0,25% no primeiro trimestre, o que dá 1% em anualidade", disse. Ainda de acordo com o ministro, a Europa cresceu abaixo das projeções.
"Há uma clamaria no mercado de câmbio, que está estabilizado", comentou Mantega, sem mencionar qualquer cotação do real ante o dólar. "O cenário do fluxo de capitais é positivo e temos recebido forte investimento direto", ressaltou. "Vamos ter provavelmente um segundo trimestre melhor do que o primeiro", disse, referindo-se ao desempenho do PIB.
O ministro lembrou que analistas dizem que os EUA passarão a mostrar desempenho melhor nos próximos meses e afirmou ainda que ocorreram volatilidades que contribuíram para o baixo crescimento do País no começo deste ano.
Mantega afirmou que a revisão do PIB em 2013 de 2,3% para 2,5% deixou a economia melhor. Ele disse ainda que o Brasil foi a segunda economia onde os investimentos mais cresceram.
(Com Francisco Carlos de Assis e Ricardo Leopoldo)

Após 37 dias parados, professores municipais decidem manter greve

Decisão foi tomada em assembleia em frente à Prefeitura; eles recusaram proposta da gestão Haddad de incluir abono somente a partir de 2015


Diego Zanchetta - O Estado de S. Paulo
Professores se reuniram em frente à Prefeitura - Diego Zanchetta
Diego Zanchetta
Professores se reuniram em frente à PrefeituraA decisão foi tomada em assembleia realizada por volta das 17h40 na frente da sede da Prefeitura, no Viaduto do Chá, centro da capital. Cerca de 5 mil pessoas acompanharam o ato. Eles rejeitaram a proposta apresentada mais cedo pela gestão Fernando Haddad (PT) de estender o abono de 15,38%, inicialmente previsto apenas para quem ganha o piso, para toda a categoria, a partir do ano que vem.SÃO PAULO - Mesmo com nova proposta do governo - e sob gritos de "não tem arrego", após 38 dias de paralisação -, os professores da rede municipal de São Paulo decidiram manter a greve da categoria por tempo indeterminado. Resolveram ainda acampar na frente da Prefeitura e pressionar a Câmara Municipal.
Pela proposta, o bônus seria pago em três parcelas: em maio de 2015 e no mesmo mês de 2016 e 2017. Os professores esperavam a primeira parcela ainda neste ano - e uma definição sobre o valor que será concedido em cada uma. "Não se define quanto vamos receber em 2015 ou em 2016. O governo pode acabar e deixar tudo para 2017 sem assumir nenhum compromisso com a categoria", discursou Claudio Fonseca, presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo (Sinpeem). "A categoria não pode sair humilhada desse jeito de uma greve", disse.
A manutenção da paralisação foi apoiada pelos participantes do protesto. Em seguida, o sindicato pediu mobilização total dos docentes, até mesmo dos diretores de escolas, para votação do projeto que prevê o bônus, na Câmara Municipal. Se não houver ajuste na proposta a ser votada pelos vereadores, os professores ameaçam fechar a Marginal do Pinheiros. Alguns deles continuarão acampados na frente da Prefeitura, em 30 barracas, em protesto.
Visivelmente nervoso, o secretário municipal de Educação, Cesar Callegari, concedeu uma coletiva à imprensa logo após a assembleia dos professores. Ele acusou a categoria de promover situação que "está chegando ao limite do insuportável e do intolerável". "O prefeito já sinalizou a boa vontade de mandar o substitutivo para a Câmara e conceder o bônus para toda a categoria em três vezes a partir de maio de 2015. Até mesmo houve compromisso do prefeito de cortar gastos para fazer recomposição salarial. Por isso, é inaceitável a posição de intransigência dos sindicalistas. Os alunos estão sendo prejudicados."
Callegari encerrou a entrevista rapidamente, dizendo que o governo tinha a convicção de que a proposta seria aceita. "Quer mais o quê? Não era isso que eles estavam pedindo? Então que voltem ao trabalho", disse o secretário, que citou o piso de R$ 3 mil "como o maior do Brasil".
'Pelada'. Outro protesto na frente da Prefeitura envolveu moradores de rua. Eles e participantes da Pastoral de Rua jogaram futebol na Rua Libero Badaró, no centro, em ato simbólico contra a Copa do Mundo. Liderados pelo padre Júlio Lancellotti, também colocaram fogo em uma réplica da taça.
O padre disse que os moradores de rua iriam dormir na frente da Prefeitura porque a Tropa de Choque teria retirado os que viviam sob o Viaduto Alcântara Machado. A Polícia Militar foi procurada, mas não deu resposta sobre o caso até 21 horas.