quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

PROTESTO CONTRA A FALTA D'ÁGUA EM SP NESTA 5² E DESCASO DAS AUTORIDADES PÚBLICAS CONTINUA


HOJE OCORRE A "MARCHA DA ÁGUA" EM DIREÇÃO AO PALÁCIO DOS BANDEIRANTES - CONCENTRAÇÃO - 17H - LARGO DA BATATA - PINHEIROS
Viomundo
Nesta quinta, MTST faz Marcha pela Água em São Paulo
Nesta quinta-feira 26,  acontece a Marcha pela Água em São Paulo, organizada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), com participação de vários movimentos sociais.
A concentração será a partir da 17h no Largo da Batata, em Pinheiros. Daí seguirá em caminhada até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado de São Paulo.
A marcha tem dois objetivos: mobilizar a população para enfrentar a crise da água e e cobrar medidas do governador Geraldo Alckmin (PSDB).
“Alckmin continua agindo como se tudo estivesse sob controle”, alerta Edson Aparecido da Silva, coordenador da Frente Nacional de Saneamento Ambiental. “Os moradores das periferias e os mais pobres sofrem com a falta de água, enquanto os ricos dificilmente terão problemas.Estes se beneficiam de contratos de demanda, de água comprada de caminhões pipa e continuam com as suas piscinas cheias, enquanto os pobres nem caixa de áua têm.”.

DEU NOS JORNAIS DESTA QUINTA-FEIRA, 26/02/2015

VOCÊ PODE ESTAR TOMANDO ÁGUA CONTAMINADA
Estadão - 26/02/2015
Sabesp admite que rodízio pode contaminar água
Diretor disse em CPI na Câmara que problema não colocaria usuário em risco; empresa também afirmou que pressão está fora da norma

SABESP ADMITE QUE CONSUMIDOR PODE ESTAR PAGANDO POR "AR ENCANADO" EM VEZ DE ÁGUA CONSUMIDA
Folha - Cotidiano - 26/02/2015
Sabesp afirma que ar pode elevar conta
A gerente de relacionamento da Sabesp, Samanta Souza, admitiu que os hidrômetros podem contabilizar a pressão de ar como se fosse água, o que deixa a conta mais alta. "Os hidrômetros realmente estão preparados para atuar numa situação de pressão de normalidade, à qual a gente não está submetido hoje [...]. Então pode sim, eventualmente, acontecer a entrada de ar no hidrômetro", disse a gerente em entrevista à rádio CBN. 

SABESP, COM REDUÇÃO DE PRESSÃO, DESCUMPRE REGRA DA ABNT
Folha - Cotidiano - 26/02/2015
Para economizar água, SP descumpre regra
Ao admitir redução de pressão nos encanamentos fora das normas, Sabesp contradiz governador Geraldo Alckmin.
A Sabesp, empresa do governo paulista, reconheceu que, para economizar água e evitar o colapso do abastecimento na Grande SP, tem reduzido a pressão nos encanamentos abaixo das regras.
A informação contradiz o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que, no final do ano passado, negou que a empresa de água do Estado estivesse descumprindo norma da ABNT (Associação Brasileiras de Normas Técnicas).
A redução da pressão nos encanamentos é uma estratégia ampliada desde o ano passado pelo governo de SP, em especial nas áreas atendidas pelo sistema Cantareira.
Ao diminuir a pressão, a Sabesp "empurra" menos água na rede de abastecimento. Por um lado, reduz os vazamentos nos canos, já que há menos água em circulação. Por outro, deixa casas sem água, em especial as localizadas em pontos mais altos

SEM PRESSÃO CORRETA, CAIXAS-D'ÁGUA NÃO SÃO ENCHIDAS
Agora - 26/02/2015
Sabesp admite que pressão não enche caixas-d'água
O diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato, disse ontem que, por economia, a companhia tem mantido a pressão da água nas tubulações da Grande São Paulo abaixo do suficiente para chegar às caixas das casas.
Segundo ele, a pressão está em um metro de coluna d'água, o chamado MCA.
Isso significa que a água tem força suficiente para chegar a uma altura de um metro.
Norma da ABNT (Associação Brasileiras de Normas Técnicas) recomenda que a pressão seja de, no mínimo, dez metros de coluna de água.
"Nós estamos garantindo um metro da coluna de água, preservando a rede de distribuição. Mas não tem pressão suficiente para chegar na caixa-d'água. Estamos abaixo dos dez metros de coluna de água, principalmente nas zonas mais altas e mais distantes dos reservatórios", disse o dirigente na CPI da Sabesp, na Câmara Municipal

DEMAGOGIA POLÍTICA CONTINUA: GOVERNO DE SP CONTINUA ESCONDENDO A GRAVIDADE DA CRISE HÍDRICA
Rádio CBN - 26/02/2015 - 8h11
Autoridades continuam a lidar errado com a crise hídrica - por Sérgio Abranches
Em São Paulo, governo precisa anunciar o aumento do nível do Cantareira alertando que o volume ainda está muito abaixo do ideal.

Folha - Cotidiano - 26/02/2015
Sabesp prevê 2015 sem rodízio na Grande SP
Para dirigentes da empresa, mesmo com poucas chuvas, obras ampliarão oferta de água na região metropolitana
Discurso repete a linha adotada por Alckmin; diretor da estatal diz, porém, que situação ainda é crítica

GOVERNO ALCKMIN ADOTA EUFEMISMO DE LINGUAGEM PARA TRATAR SECA EM SP
Folha / Tendências - Debates - 26/02/2015
Noemi Jaffe: A semântica da seca 
O cidadão comum vive, na gestão do governo paulista, sob um regime eufemístico de linguagem, em aparência elegante, mas,
na verdade, retoricamente totalitário, com o qual somos obrigados a conviver e, ainda, forçados a mimetizar.
"Crise hídrica", "plano de contingência", "obras emergenciais", "volume morto", "reservatórios", tal como vêm sendo usados, não
são mais que desvios covardes da linguagem e da política para ocultar o enfrentamento do real.
Não há água, houve grande incompetência, haverá grandes dificuldades, é necessário um plano emergencial de orientação e a
criação de redes de contenção e de solidariedade. É preciso construir e distribuir cisternas, caixas d'água para a população
carente, ensinar medidas de economia, mobilizar as subprefeituras para ações localizadas e, sobretudo, expor pública e
claramente medidas restritivas à grande indústria e à agricultura, que podem ser bem mais perdulárias do que o cidadão.
ou

GLOBO REQUENTA NOTÍCIA DE VIOMUNDO FEITA HÁ TRÊS ANOS E MEIO
[Três anos e meio depois, o SPTV, da Globo-SP faz plágio televiso de matéria do Viomundo (clique aqui)
SPTV - 26/02/2015
Poluição impede uso de água de córregos de SP
De 3.000 Km de córregos e rios na cidade de São Paulo, apenas 183 Km foram despoluídos (6% do total), ou seja 94% continuam poluídos, afirma telejornal da Globo (o Tralli fala em 95%)

RÁDIO CBN - NOTÍCIAS IMPORTANTES SOBRE CRISE HÍDRICA EM SP DESTA SEMANA 23, 25 E 26 DE FEVEREIRO QUE TALVEZ VOCÊ NÃO TENHA OUVIDO OU VISTO

INMETRO DESMENTE SABESP E DIZ QUE HIDRÔMETROS PODEM REGISTRAR AR EM VEZ DE ÁGUA
Rádio CBN - 23/02/2015
Inmetro confirma que medidores de água usados pela Sabesp são suscetíveis ao registro de ar
Na última semana, a companhia de abastecimento negou que os equipamentos sejam projetados para marcar outros tipos de fluídos. A polêmica surgiu depois que paulistanos começaram a ser multados pelo consumo excessivo de água. O MP investiga o caso.
Ainda segundo o Inmetro, já existem no mercado medidores mais avançados que registram apenas a passagem de água. No entanto, grande parte do país ainda usa essa tecnologia suscetível ao registro de ar.

PAGANDO POR  AR ENCANADO EM VEZ DE ÁGUA CONSUMIDA
Rádio CBN - 25/02/2015
'Há tempos que a Sabesp cobra ar pelo preço de água'
Entrevista com Marco Antonio Araújo Junior, presidente da comissão de Defesa do Consumidor da OAB-SP.
Ele afirma que a prática ilegal fica mais clara a partir do momento em que o Inmetro diz que o hidrômetro está sujeito a cobrança do ar quando não estiver completo com água na caixa de reservatório

Rádio CBN - 25/02/2015
'Pode eventualmente acontecer', reconhece gerente da Sabesp sobre cobrança de ar em hidrômetros
Samanta Souza, gerente de relacionamento com o cliente da Sabesp, afirma que no mês de janeiro a companhia recebeu 25 mil reclamações sobre aumento de consumo. Destas, em 20 casos o problema foi identificado como sendo presença de ar na rede

CONTA D'ÁGUA PODE TER AUMENTO PARA CONTER CONSUMO
Rádio CBN - 23/01/2015
Sabesp confirma que pode pedir novo reajuste da água
Empresa diz que quer reequilibrar seu orçamento em meio à crise hídrica em São Paulo. Medida precisa ser autorizada pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado.
Ação faz parte de um pacote para compensar também o aumento da dívida da companhia em dólar, que ao final do terceiro trimestre de 2014 era de quase R$ 10 bilhões

VEJA O NÍVEL DO CANTAREIRA HOJE, 26/02: SISTEMA TEM 10,7%
A conta da água
Salve o link abaixo e você terá sempre o nível do Cantareira atualizado

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

RodapéNews - Edição de 20 de fevereiro de 2015, sexta-feira


"MÃOS LIMPAS EM PRATOS LIMPOS": MUITOS QUE BRADAM CONTRA A CORRUPÇÃO NO BRASIL LAVAM SEUS DÓLARES NO HSBC DA SUÍÇA E, EMBORA POSEM COMO VESTAIS, COLABORAM COM A "MAFIALIZAÇÃO" DA SOCIEDADE

"ZERO, ZERO, ZERO": LIVRO LANÇADO EM 2014 MOSTRA QUE HSBC E CITIBANK (ENTRE OUTROS BANCOS) CONTINUAM LAVANDO DINHEIRO DAS MÁFIAS INTERNACIONAIS E DE MILIONÁRIOS BRASILEIROS
O Globo - 13/12/2014
Em novo livro, Roberto Saviano mostra as conexões entre o tráfico e a economia legal
Em 'Zero zero zero', jornalista italiano mostra o poder e as conexões dos cartéis da droga no México e na Colômbia
"O fluxo de dinheiro oriundo do tráfico de drogas irriga a economia legal. Gigantes financeiros, como o Citibank e o HSBC, foram obrigados a negociar punições e sofreram sanções econômicas muito duras do governo dos Estados Unidos por terem lavado dinheiro de organizações criminosas. Mas essa é apenas a ponta do iceberg. Os bancos precisam do capital dessas organizações para não afundarem. E esse dinheiro vai financiar empresas limpas, obras públicas. Estamos assistindo, impotentes, a uma progressiva “mafialização” da sociedade", afirma Roberto Saviano em resposta a uma pergunta sobre as relações entre a economia ilegal do narcotráfico e a economia legal em geral

"A MÁQUINA DA LAMA", LANÇADO EM 2012, MOSTRA AS LIGAÇÕES ENTRE A MÁFIA ITALIANA E O BRASIL
Folha Ilustrada - 24/10/2012
Cosa nostra
Autor de "Gomorra", Roberto Saviano lança livro "A Máquina da Lama" inspirado em programa de TV e comenta as ligações entre a máfia italiana e o Brasil

HSBC E GOVERNO INGLÊS DEVEM EXPLICAÇÕES SOBRE LAVAGEM DE DINHEIRO ATUAL DO HSBC
Carta Capital
O HSBC terá de se explicar ao MP da Suíça
Braço suíço do banco britânico ignorou crimes de clientes e ajudou correntistas a sonegarem impostos em seus países

"PONTINHA DO ICEBERG": QUEM SÃO OS BRASILEIROS QUE, ENTRE 2005 E 2007, SONEGARAM R$ 20 BILHÕES USANDO O HSBC DA SUÍÇA
Revista Fórum
#SwissLeaks: Quem são os brasileiros com contas secretas no HSBC?
Investigações apontam 8,6 mil nomes do país que cometeram crimes de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, movimentando R$ 20 bilhões na agência do banco na Suíça

Zero Hora
Brasil aparece como nono país da lista de clientes com contas escondidas do HSBC
Imprensa internacional revelou a face oculta do sigilo bancário na Suíça

INDEPENDENTE DE SER "COMPRADA", GRANDE MÍDIA DEFENDE, ANTES DE TUDO, SEUS "PARCEIROS" POLÍTICOS E ECONÔMICOS

OPERAÇÃO ABAFA NA INGLATERRA
Viomundo
Donos de diário receberam R$ 1,1 bi antes de tirar o pé de cobertura sobre HSBC
Irmãos Barclay garantiram empréstimo para uma companhia que perdia dinheiro antes de repórteres do Telegraph serem desencorajados na produção de artigos críticos ao HSBC

JORNALISTA FERNANDO RODRIGUES, DO GRUPO FOLHA, ESCONDE NOME DA MAIORIA DE  POLÍTICOS NEOLIBERAIS E DE EMPRESAS CITADAS NA LISTA DO HSBC
Viomundo
HSBC: Amaury Ribeiro Jr. deixa o Comitê de Jornalistas Investigativos
A troca de correspondência entre o jornalista Amaury Ribeiro Jr. e a vice-diretora do ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos), Marina Walker Guevara, nos foi enviada pelo repórter. O ICIJ recebeu do diário francês Le Monde os Swiss Leaks –vazamento de dados referentes às contas secretas do banco HSBC na Suiça.
Os vazamentos estão sendo investigados por autoridades de vários países, uma vez que podem indicar que o banco era usado para sonegação de impostos ou simplesmente esconder dinheiro sujo.
No Brasil, o ICIJ repassou a tarefa de investigar e divulgar as contas ao UOL, do Grupo Folha, representado pelo jornalista Fernando Rodrigues, integrante do ICIJ, do qual Amaury também fazia parte.
O UOL e a mídia corporativa brasileira, por enquanto, só entraram no caso para denunciar contas no HSBC associadas ao escândalo da Petrobras.

CORRUPÇÃO ECUMÊNICA: EVENTUAIS NOMES DE POLÍTICOS, VIPs, DOLEIROS DA PETROBRÁS E DE OUTRAS EMPRESAS APARECEM NO "SUIÇALÃO

ROBSON TUMA NA LISTA?
Nassif
Mutirão HSBC: o primeiro nome pode ser o de Robson Tuma
Na lista do HSBC aparece o endereço Avenida Cauaxi 189, ap 203, Alphaville, Barueri.
Nas ferramentas disponibilizadas pela ICIJ é possível relacionar o endereço com o nome Barkat Sorathia que, por sua vez, remete a um Barso Global Management and Advisory, Inc. Barso, por sua vez, está relacionada com Portcullis TrustNet (BV). Na página do Portcullis (http://offshoreleaks.icij.org/nodes/54662), por sua vez, estão relacionados inúmeros escritórios.

TUCANOS DE ALTA E BAIXA PLUMAGEM A LISTA?
Cafezinho
Suiçalão: aparecem os primeiros tucanos gordos!

DOLEIROS DA PETROBRÁS NA LISTA?
A Tarde / Estadão
Justiça quer saber se HSBC ajudou a camuflar origem do dinheiro da Petrobras

OPERAÇÃO LAVA JATO

JURISTA E ADVOGADA ACUSAM JUIZ SÉRGIO MORO POR USAR MÉTODOS FASCISTAS E FAZER VISTAS GROSSAS AOS VAZAMENTOS DE INFORMAÇÕES SIGILOSAS
CA
Jurista compara método  Moro à Gestapo
Usar a prisão preventiva para obter confissão é mentalidade autoritária.

CA

MPF E SÉRGIO MORO "ESQUECERAM" DE APURAR A PARTICIPAÇÃO DE GRANDES BANCOS BRASILEIROS (ITAÚ, BRADESCO, SANTANDER E BB) NA LAVAGEM DE DINHEIRO DA LAVA JATO
Folha - 23/09/2014
Bancos ajudavam doleira a lavar dinheiro, diz réu da Lava Jato
Um assistente da doleira Nelma Kodama, Luccas Pace Junior, disse à Justiça Federal que Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander ajudavam ­na a fazer operações com recursos de origem ilícita.
Ele relatou que os bancos aceitam operações de empresas "que não têm sede, não têm funcionários" e movimenta num dia o que era esperado para o mês

Polícia investiga denúncias feitas contra loja de móveis

Até agora, segundo o delegado, são três boletins de ocorrência
Adriane Mendes
adriane.mendes@jcruzeiro.com.br

O delegado assistente do 4º Distrito Policial, Alexandre Banietti, irá instaurar inquérito para apurar denúncias feitas contra a loja One Móveis, de móveis planejados, do bairro Trujillo, acusada de receber e não cumprir com os contratos ao não entregar os móveis. Até agora, segundo o delegado, são três boletins de ocorrência, mas ele acredita que esse número possa aumentar, tendo em vista que a loja teria sido fechada sem nenhum aviso prévio aos clientes.

Uma das três vítimas é a assistente social Yara Maria Gomes de Araújo, de 27 anos, e seu marido Diórgenes Baptista da Silva. O casal conta ter contratado os serviços em 17 de janeiro para mobiliar uma casa com dois quartos, sala, cozinha e banheiro, ficando acertado o valor total de R$ 18.300, a ser pago com uma entrada de R$ 3 mil e o restante em 24 cheques no valor de R$ 637,50 cada, sendo que no dia do acerto, por estar com poucas folhas no talonário, Yara preencheu seis cheques. Na ocasião ficou acertado também que no dia 27 seria feita a medição dos cômodos para a confecção da mobília, o que não aconteceu. Diante da falta de comunicação, o casal foi pessoalmente na loja semana passada, e a encontrou fechada.

Ainda segundo Yara, a loja é uma franquia da New Móveis Planejados, e seu responsável era Fábio Simões de Oliveira, de 33 anos, que não foi localizado por ela. O casal conta ter procurado aquela loja por ter boas referências de amigos e parentes, mas que acabou se decepcionando. Agora, para causar ainda mais aborrecimento, Yara disse que a New Móveis assume o projeto feito pelo antigo franqueado, mas sem descontar os R$ 3 mil perdidos na entrada.
A reportagem tentou, sem sucesso, contatos telefônicos com Fábio de Oliveira, e com a New Móveis Planejados. No telefone fixo do Fábio vinha o aviso de que a caixa de mensagem estava desativada, e o celular se mantinha sempre com sinal de ocupado. Foram deixadas duas gravações de voz pela reportagem. O telefone indicado como sendo da New Móveis também se mantinha com sinal de ocupado.

O delegado Alexandre Banietti, explicou que o inquérito será de estelionato. Ele também orienta que em caso de novas vítimas, que as ocorrências continuem sendo feitas no plantão policial, tendo em vista que no 4º DP não haveria estrutura para esse tipo de atendimento público. Banietti não se recordava, no momento da reportagem, dos valores reclamados pelas outras duas vítimas.

Estações da linha amarela do metrô vão atrasar mais

Folha de S.Paulo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), reconheceu ontem que pode haver novo atraso na conclusão das estações Higienópolis-Mackenzie e Oscar Freire, que devem ser entregues apenas em 2016, por problemas com o consórcio espanhol Isolux Córsan-Corviam, responsável por esse trecho da linha 4-amarela do Metrô de São Paulo.
A promessa era inaugurar as duas estações este ano.
"A estação Higienópolis-Mackenzie é a mais adiantada, já temos dois terços da obra pronta e o prazo é de dez meses. Nós entregaríamos ainda neste ano, mas infelizmente vai ficar para o ano que vem", disse.
Ele afirmou ainda que pretende rescindir o contrato com o consórcio, mas que aguarda a chegada ao país, no início de março, de equipe de inspeção do Banco Mundial para discutir o encaminhamento do contrato.

Prefeitura atrasa ajuda após enchente no Jardim Pantanal

Fabio Pagotto

do Agora
A prefeitura não entregou ontem os kits com cestas básicas, colchões, cobertores e material de limpeza aos moradores atingidos pela enchente na Vila Itaim, na região do Jardim Pantanal (zona leste).
Já os frascos com cloro usados para purificar a água já acabaram.
A promessa da entrega dos kits foi feita ao Agora pelo coordenador da Defesa Civil municipal, Pedro Ivo, ontem.
Desde que as chuvas alagaram 18 ruas na Vila Itaim, na segunda-feira, os moradores se queixam de que a ajuda da prefeitura não é suficiente e tem gerado confusão.
Resposta
O subprefeito de São Miguel, Adalberto de Sousa, disse que a distribuição dos kits antienchente serão feitos às 10h na Escola Estadual Reverendo Mattathias Gomes dos Santos, na Vila Itaim.
A prefeitura não explicou o motivo do atraso.
A prefeitura disse manter, na Vila Itaim, desde terça-feira, uma força-feira, com cerca de 100 agentes municipais para prestar apoio aos moradores.
Informou ainda que esse trabalho é feito 24 horas por dia e conta com um posto de atendimento à população para tirar dúvidas.

Moradores do Alto da Mooca estão até dez dias sem água

William Cardoso

do Agora
Moradores do Alto da Mooca (zona leste de SP) estão ficando até dez dias sem água este mês e têm de recorrer à chuva ou a galões para fazer os serviços domésticos e a higiene da família.
Uma das ruas onde o problema acontece é a Padre Leonel França. Nela, o desabastecimento chegou há dez dias, dizem moradores. O site da Sabesp aponta que a região está sujeita à redução de pressão entre as 13h e as 5h, período em que pode haver falta d'água, afirma a companhia de saneamento.
A crise tem assustado. "Antes, a gente recebia água quatro horas por dia. Agora, já são dez dias sem. Não sei mais o que fazer", afirma a enfermeira Silvana Marcia Teixeira de Morais, 42 anos.
Resposta
A Sabesp disse que pretende enviar hoje pela manhã equipes para verificar o que está acontecendo nos endereços citados pela reportagem.
"Pode ser um problema mais grave na rede, já que estão, conforme relatado, há dias sem água", afirmou, em nota.
A companhia afirmou também que vai verificar o que "pode ser feito o mais rapidamente possível".
A empresa disse ainda que toda a Grande São Paulo está sujeita "a manobras de redução de pressão para combate a perdas de água".
A Sabesp diz que não há nenhuma decisão sobre racionamento.

Ministro da Justiça reafirma encontro com advogados da Odebrecht

  • 19/02/2015 20h46
  • Brasília
Michèlle Canes - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, reafirmou hoje (19) que recebeu advogados da empresa Odebrecht, no início do mês, para falar de assuntos relacionados à Operação Lava Jato. Ele disse que a empresa levou dois assuntos para a reunião: um sobre sobre vazamento de informações em inquérito e outro sobre um tema que não pode ainda ser divulgado. A declaração ocorreu durante entrevista à imprensa para divulgar o balanço das operações da Polícia Rodoviária Federal (PRF) durante o carnaval.
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, divulga o balanço da Operação Rodovida, que fiscalizou os trechos mais perigosos das estradas brasileiras durante o período do carnaval (Valter Campanato/Agência Brasil)
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, durante balanço da Operação Rodovida, no carnaval. Ele falou sobre a Operação Lava Jato, da Polícia Federal Valter Campanato/Agência Brasil
“A empresa Odebrecht disse que ao longo da Operação Lava Jato havia vazamentos ilegais que atingiam a empresa, que isso qualificava uma clara ofensa à lei, e que eu havia mandado abrir inquérito para apurar esses vazamentos, o que é verdade. E queixavam-se [os advogados] que o inquérito não estava sendo tocado adequadamente pela Polícia Federal”, disse. Cardozo defendeu ser a pessoa indicada para receber questões relacionadas à PF, que é subordinada ao ministro da Justiça. Ressaltou que, eventualmente, em casos de queixa ou se dirigem ao diretor da PF ou ao ministro. Cardozo destacou, porém, que ele não intervém em investigações. "Não devo intervir. Não devo efetivamente orientar. A orientação minha para a PF é clara: investiguem quem quiser, doa a quem doer, mas cumpram a lei.”
Sobre o outro assunto da conversa com os advogados da Odebrecht, o ministro disse não poder falar publicamente por questões de sigilo judicial. “O segundo ponto tocado pela empresa eu não vou mencionar ainda porque diz respeito a uma questão de outro órgão do Ministério da Justiça, no plano de colaboração internacional. Eu não posso mencionar porque há tratados que regem essas colaborações e eu não posso comprometer um tratado internacional divulgando qualquer situação a respeito.”
Segundo o ministro, a reunião seguiu todas as medidas de cautela: pedido formal para que fosse realizada, registro dos temas em ata e presença de um representante do ministério. Foi pedido também aos advogados que fizessem representações para que as duas questões fossem encaminhadas aos setores competentes para apuração. Uma para o Departamento de Policia Federal, para as providências cabíveis, e outra para o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) para que prestasse informações ao Ministério Público Federal (MPF). A questão foi encaminhada ontem (18), segundo Cardozo, indagando o MPF sobre a possibilidade de dar informações ao requerente da representação e se é possível tornar o tema público.
O ministro reforçou as declarações dadas em nota divulgada pelo ministério, de que os advogados têm o direito de serem recebidos, e negou que outras reuniões tenham sido feitas para tratar de questões ligadas à Operação Lava Jato, mas ressaltou que caso fosse solicitado, receberia os advogados com as mesmas cautelas. “O estatuto da advocacia é claro quando estabelece que o advogado tem direito de ser recebido por servidores públicos. Quando você recebe o advogado, você não está recebendo o cliente do advogado.”
Além de defender que é um dever receber advogados, o ministro disse que nenhuma proposta indevida foi feita a ele. “As autoridades têm, sim, que receber advogados. Se um advogado fizer uma proposta indevida, tome as medidas penais cabíveis. Nenhum advogado me pediu que eu intercedesse para liberar um preso, que eu fosse falar com o juiz Moro, que eu fosse falar com o MPF. Nenhum, porque se o fizesse eu teria tomado as medidas cabíveis. Seja do ponto de vista penal, seja do ponto de vista ético. Teria representado à Ordem dos Advogados do Brasil.”
Com relação a notícias veiculadas sobre a ausência de registro do compromisso na agenda durante 80 dias, o ministro alegou que uma alteração no sistema usado pelo ministério causou o erro. Quanto à possibilidade de depor na CPI da Petrobras, na Câmara dos Deputados, o ministro disse que não se negaria a comparecer. “Irei com prazer. Não precisa me convocar”. Cardozo disse que gostaria apenas de comparecer ao Congresso já com uma resposta do MP, para que pudesse responder sobre a reunião realizada. “Gostaria de ter esse detalhe. Sempre fui ao Congresso, e irei se me chamarem”, enfatizou.

Ex-presidente da Petrobras vai depor à Justiça na Operação Lava-Jato

SÃO PAULO. O ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli vai depor por videoconferência ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, na ação em que são réus o ex-diretor da área internacional da estatal, Nestor Cerveró, e o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano. Gabrielli, que mora em Salvador, foi arrolado como testemunha de defesa de Cerveró, que está preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba. O advogado de Cerveró havia pedido a oitiva da presidente Dilma Rousseff, mas declinou do pedido.
No mesmo dia, também falará ao juiz por videoconferência Franco Clemente Pinto, que, segundo o doleiro Alberto Youssef, respondia pela contabilidade do consultor Gerin Camargo, que assinou acordo de delação premiada e deu detalhes sobre o pagamento de propina em contratos com a Petrobras.
Youssef disse que Pinto carregava sempre nas reuniões um pendrive com toda a movimentação financeira do consultor, que confessou ter sido um dos operadores de propina da Petrobras. O doleiro afirmou que, neste pendrive estava o nome do ex-ministro José Dirceu, cujo codinome era "Bob".
“Franco é homem de confiança de Júlio Camargo e o responsável pela contabilidade de pagamentos ilícitos a título de propina e caixa 2″, disse Youssef em seu depoimento, explicando que as siglas eram usadas para esconder os nomes dos beneficiários na contabilidade ilícita.

Odebrecht questionou Cardozo sobre cooperação entre Brasil e Suíça

Brasília - Os advogados da construtora Odebrecht, que está na mira das investigações da Operação Lava Jato, apresentaram duas representações ao Ministério da Justiça questionando os vazamentos de informações do caso e a cooperação entre Suíça e Brasil para apurar o esquema de corrupção que tem a Petrobrás como alvo central. 
O conteúdo dos questionamentos veio à tona nesta quinta-feira, 19, mas os documentos foram apresentados após encontro dos advogados da empreiteira com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, no dia 5. 
Em entrevista coletiva concedida nesta quinta, Cardozo admitiu ter tratado do vazamento da Lava Jato com os advogados, mas não quis comentar o tema da segunda representação, limitando-se a dizer que dados relativos à cooperação com a Suíça foram encaminhados ao Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do ministério e ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot. 
A Procuradoria-Geral confirmou ao Estado que o Ministério da Justiça protocolou ontem um pedido de esclarecimento dos advogados da construtora sobre a cooperação feita entre Suíça e Brasil nos desdobramentos da Lava Jato. 
O órgão manifestou “tranquilidade”, afirmando que a cooperação foi feita dentro dos termos legais do acordo entre os dois países. A Procuradoria-Geral da República deve encaminhar os esclarecimentos a Cardozo até o início da próxima semana. 
Em depoimentos prestados no acordo de delação premiada, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa disse ter recebido um total de US$ 31,5 milhões da Odebrecht. Segundo ele, a empresa fazia depósitos a cada dois ou três meses, entre 2008 e 2013, em sua conta na Suíça devido ao “bom relacionamento” entre eles. Diante dessa situação, a Odebrecht quer detalhamento sobre a cooperação feita entre Brasil e Suíça nas investigações da Lava Jato. 
O encontro de Cardozo com advogados da construtora gerou críticas do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa que, durante o feriado de carnaval, chegou a sugerir a demissão do ministro em postagens feitas no Twitter. O juiz Sérgio Moro, que conduz os processos da Lava Jato na Justiça do Paraná, classificou como “intolerável” que advogados das empreiteiras tentem discutir o processo judicial com autoridades políticas. 
‘Quadrilha’. Cardozo se defendeu ontem das críticas dizendo que advogados “não são membros de quadrilha” pela sua atuação profissional. Ele disse achar “lamentável” que no Brasil existam pessoas que “ainda pensam dessa forma”. “Advogado não é o cliente, advogado não está sendo acusado. E se tem alguma coisa acontecendo de errado na Polícia Federal, quem é que tem que fiscalizar? O ministro da Justiça. É de uma obviedade total”, declarou o ministro. Ele reiterou que teve apenas um encontro com advogados para tratar da Lava Jato - o caso da Odebrecht - e que defensores têm o direito de serem recebidos por autoridades públicas. 
A Odebrecht também encaminhou cópia do primeiro requerimento apresentado ao Ministério da Justiça ao STF. 
No documento, os advogados da empreiteira reclamam do “pouco interesse” com que as autoridades do Paraná têm tratado o vazamento das informações da operação. A defesa já havia ingressado com duas petições em 2014, ambas em outubro, cerca de um mês antes de a sétima fase da Operação Lava Jato ser deflagrada, quando foram presos executivos de empreiteiras investigadas. 

Governador de São Paulo sanciona Lei do Passe Livre estudantil

Geraldo Alckmin sancionou a lei que concede o passe livre estudantil no Metrô, na CPTM e nos ônibus da Emtu para alunos da rede pública.
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sancionou nesta quinta-feira (19) a lei que concede o passe livre estudantil no Metrô, na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e nos ônibus da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (Emtu) para alunos da rede pública.
Os estudantes da rede privada também terão direito, desde que provem ter renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo nacional (R$ 1.182). O passe livre beneficiará 615 mil estudantes das regiões metropolitanas de São Paulo, Baixada Santista, Campinas e Vale do Paraíba/litoral norte.
De acordo com informações do governo do estado, o passe livre será concedido a partir do cadastro enviado pela instituição de ensino e declaração de comprovação de renda do aluno. Os alunos terão direito a 48 viagens gratuitas, não cumulativas, devendo ser usadas no mês de concessão. A medida entra em vigor em 30 dias a partir da resolução.
“Quem estiver no Programa Universidade para Todos [Prouni], Bolsa Universidade, tiver financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil [Fies] e for atendido por programas de cotas, não precisará comprovar renda. Essa é uma medida socialmente justa e de grande estímulo à educação porque vai facilitar muito a vida dos estudantes evitando uma despesa. As empresas já publicaram o manual em seus sites”, disse o governador.
Editor Fábio Massalli

Nova vacina contra HIV mostra resultados animadores

Macacos totalmente protegidos contra o vírus do HIV. Esse foi o resultado de um teste de uma nova vacina contra o HIV, que deixou a comunidade científica animada.
A abordagem da vacina, cujo estudo acaba de ser publicado na revista Nature, é bastante radical.
Normalmente, as vacinas treinam o sistema imunológico para combater infecções. Mas nessa nova vacina os pesquisadores do instituto de pesquisa Scripps, com sede na Califórnia, alteraram o DNA dos macacos para dar às células deles propriedade para combater o HIV.
Leia também: HIV está se tornando menos mortal e infeccioso, diz estudo
A equipe diz que a descoberta é “incrível” e que vai começar os testes em humanos em breve. Consultados pela BBC, cientistas independentes – não ligados ao instituto – também se entusiasmaram com os resultados do teste.

DNA

A técnica usa terapia genética para introduzir uma nova seção de DNA dentro das células musculares saudáveis.
Nessa parte de DNA há tipos de "instruções" para a criação de ferramentas para neutralizar o HIV, que então é bombardeado para fora da corrente sanguínea.
Nos testes, os macacos ficaram protegidos contra todos os tipos de HIV durante ao menos 34 semanas.
Como os macacos também desenvolveram proteção diante de altas doses do vírus, isso também pode ajudar pacientes que já tenham HIV, de acordo com os cientistas.
"Estamos mais perto de uma proteção universal (contra o HIV) do que qualquer outra abordagem feita por outras vacinas", disse o cientista Michael Farzan, um dos líderes do estudo. "Mas ainda temos muitos obstáculos, especialmente em como fazer uma vacina segura para ser aplicada em um grande número de pessoas."
Isso porque em uma vacinação convencional, o sistema imunológico responde apenas depois de estar diante de uma ameaça.
Já nesta abordagem, a terapia genética transforma células em fábricas que expelem constantemente "matadores de HIV" – e as implicações a longo prazo disso são desconhecidas.
Apesar dos entraves, cientistas de outras instituições comemoraram os resultados.
“Essa pesquisa é bastante inovadora e é uma promessa que nos leva em duas importantes direções: obter uma proteção a longo prazo contra o HIV e colocar o vírus em remissão, no caso de pessoas já infectadas", disse o pesquisador Anthony Fauci, do National Institutes of Health, dos EUA.

Maduro cita golpe, confirma prisão de prefeito e pede ‘punho de ferro contra conspiradores’

O prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, foi detido pelo Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) em seu gabinete na noite desta quinta-feira. O próprio presidente venezuelano, Nicolás Maduro, confirmou a prisão do político e disse que ele terá de "responder por delitos cometidos contra a segurança e a Constituição do país".
Ledezma é conhecido por ser um dos principais opositores à administração de Nicolás Maduro. O presidente disse que vai combater 'conspiradores' com 'punho de ferro'.
Segundo a mídia venezuelana, agentes do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) entraram no gabinete do prefeito em Caracas por volta de 17h (horário local – 19h de Brasília) e o levaram preso. O próprio Ledezma avisou por meio de sua conta no Twitter que "funcionários do Serviço Bolivariano de Inteligência estavam tentando entrar em seu escritório" na capital venezuelana.
Pessoas que estavam perto do gabinete do prefeito disseram que foi possível ouvir tiros para o alto.
"Nós que estávamos aqui no prédio pudemos ver que entraram no gabinete do prefeito Ledezma levando consigo vários agentes da Sebin; também ouvimos tiros para o ar", disse à BBC o deputado da Assembleia Nacional Juan Guaido.
Discurso
O presidente da Venezuela discursou em rede nacional durante encontro com movimentos sociais nesta quinta-feira, em Caracas, pedindo o "apoio" da população para acabar com as "conspirações" contra seu governo.
"O senhor Antonio Ledezma que hoje foi capturado por ordem do Ministério Público e vai ser processado pela Justiça venezuelana para que responda por todos os delitos cometidos contra a paz do país, a segurança, a Constituição", afirmou Maduro. "Peço o apoio de todo o povo para consolidar a paz, já basta de conspirações".
Maduro voltou a afirmar que atuará com "punho de ferro" contra "conspiradores" e disse que não permitirá que os políticos venezuelanos façam "jogo-duplo" ao concorrer a eleições dizendo que "acatam a disputa política pela via democrática" sendo que, por outro lado, "participam de planos de desestabilização".
O presidente venezuelano admitiu que militares ativos teriam sido cooptados por funcionários do governo norte-americano para derrocar seu governo e, em contrapartida, receberiam visto e moradia em Miami.
A detenção de Antonio Ledezma ocorre dias depois do governo ter advertido a população sobre o desmatelamento de um suposto golpe de Estado que envolveria militares ativos e políticos opositores. No suposto plano, estava prevista a utilização de aviões Tucano para bombardear alguns pontos da capital Caracas.
Ao detalhar o suposto golpe, o presidente da Assembleia Nacional Diosdado Cabello, e o número dois do chavismo, disse que Ledezma e o deputado opositor Julio Borges estariam envolvidos em um plano para assassinar o dirigente opositor radical Leopoldo López. Há um ano, López foi preso, acusado de insuflar atos de violência e protestos que se arrastaram durante meses e resultaram na morte de 43 pessoas.
Políticos anti-chavistas veem na detenção de Ledezma um sinal da radicalização de métodos de repressão contra opositores e uma manobra para tirar o foco dos problemas econômicos e de desabastecimento que afeta a população.
Relação com Maduro
Próximo de políticos como Leopoldo López e Maria Corina Machado, Ledezma é um dos políticos mais críticos e de oposição ao governo Maduro na Venezuela.
Ledezma teria sido detido pelo Serviço Bolivariano de Inteligência na Venezuela
Embora não tenham apresentado provas, funcionários da presidência acusam a Ledezma de estar planejando um golpe de Estado contra o líder venezuelano.
O prefeito de Caracas, porém, já negou as acusações. "Durante o regime de Maduro, já se falou em 12 supostos golpes de Estado. Aqui os que têm o golpe como princípio são os senhores que estão neste governo", afirmou Ledezma.
"O governo fala de movimentos de desestabilização, mas o que desestabiliza o país é a corrupção", acrescentou.
Direitos Humanos
Enquanto isso, a mídia local também lembra a situação do líder do partido Vontade Popular, Leopoldo López, que foi preso há um ano e levado para a prisão militar de Ramo Verde. Ele foi detido durante os protestos contra o governo que tomaram o país por quatro meses – López também é um grande opositor de Maduro.
Em Washington, o diretor das Américas da organização de direitos humanos Human Rights Watch (HRW), José Miguel Vivanco, enviou um comunicado dizendo que o governo de Maduro é "responsável pela vida e pela integridade física do prefeito opositor Antonio Ledezma."
"Sem provas sobre qualquer crime que tenha cometido, o prefeito nunca devia ter sido preso e deveria ser liberado imediatamente. Do contrário, estaremos diante de um novo caso de detenção arbitrária contra opositores, em um país onde não há independência judicial", diz o texto.