segunda-feira, 31 de julho de 2017

Aula inaugural do Cursinho Popular de São Roque (29/07, na Brasital).


Rogério de Souza para 
Aula inaugural do Cursinho Popular de São Roque (29/07, na Brasital). 80 vestibulandos receberam apostilas e assistiram aulas de Matemática, Geografia, Língua Portuguesa e Biologia.
Sala do Cursinho Popular de São Roque pronta para o início das aulas: 29/07, às 8h na Brasital

Governo Temer repassou apenas 29% dos recursos para a obra da marginal.








Claro que devemos estar contente com a obra da Marginal estar indo para frente e ter uma etapa concluída, mas também devemos alertar que até o momento o governo Temer liberou apenas 29,6%  da verba total de R$ 3,46  milhões.A última liberação data de 13/7 e chegou a mais de 1 milhão. Como se vê na tabela abaixo:
convênio governo federal
liberado até o momento 
percentual
3.460.100,00
1.024.535,61
29,61%






A DDR empresa responsável pela obra tem contrato no valor de  R$ 2.780.497,47, como foi noticiado por este blog (https://searadionaotoca.blogspot.com.br/2017/04/obra-da-marginal-comeca-veja-contrato-e.html). Veja abaixo a publicação:
 EXTRATO DE CONTRATO - DISPENSA DE LICITAÇÃO
N.º 011/2017 - Contratação de empresa especializada para
reconstrução do Ribeirão Aracaí e pavimentação da Avenida
Antonino Dias Bastos no município de São Roque. Contratada:
D. R. R Construções e Comércio Ltda. Valor: R$ 2.780.497,47
(dois milhões, setecentos e oitenta mil, quatrocentos e noventa
e sete reais e quarenta e sete centavos). Assinatura: 06/04/2017.
Vigência: 180 dias.
Até o momento o portal da transparência da prefeitura  informa que  a empresa responsável pela obra recebeu R$ 831.351,99 ou pouco mais de 29% do valor previsto.
O prefeito de São Roque havia anunciado que a obra poderia ser terminada até o aniversário da cidade, mas a chuva e a demorada da liberação dos recursos contribuíram decisivamente para impedir que isto acontecesse.
Pode estar ocorrendo é a obra física estar mais rápida que o seu pagamento. A obra da marginal depende de recursos federais e portanto o seu ritmo depende também da liberação de recursos pelo governo Temer.

Daniela Oncala conta sua má experiência no Morro do Saboó....



Eu  vivenciei uma experiência bem ruim.
Seria uma noite de chuva de meteoros, eu e meu namorado subimos o morro do Saboó munidos de luneta, barraca e muita vontade de estar na natureza, isolados, em silêncio, em estado de contemplação. Havia umas 4 pessoas de social com a bíblia na mão, orando ALTO, perguntei se eles iriam ficar lá muito tempo, pq estavam incomodando com os gritos de "pisa na cabeça de satanás" disseram q já iriam embora. Então resolvi ficar. Eles foram, mas vieram uns 20 irmãos a mais. Muito lixo de oração, pedidos e mais pedidos (não li nenhum agradecimento) Desrespeito foi a palavra da noite. Usaram nossa fogueira para queimar as cartas com as demandas ao Pai... fizeram fila para queimar no fogo. Eu e meu namorado estávamos bebendo um vinho, conversando abraçados em volta da fogueira, tentando abstrair os gritos em louvor à satanás (nome mais proferido naquela noite) Fizeram um círculo em volta da nossa barraca e começaram a berrar contra esses profanos. Perdi a paciência inúmeras vezes. Tive vontade de ser abduzido por extraterrestres, tive até vontade de dar permissão pro Lúcifer entrar no meu corpo e detonar toda aquela gente hipócrita e atrasada. Tudo me serviu de ensinamento, refleti muito sobre Jesus, em todo momento que estava lá, pensei, o que Jesus tá achando desse circo todo?

Futuro de comunidades quilombolas ameaçado: Diga não ao STF!; veja vídeo e petição 31 de julho de 2017

viomundo

O Brasil é quilombola, nenhum quilombo a menos
Em agosto, o futuro de milhões de quilombolas será decidido no Supremo Tribunal Federal (STF).
Em 2004, o Partido Democratas (DEM) entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no STF, questionando o decreto 4887/2003 que regulamenta a titulação das terras dos quilombos. O julgamento se estende desde 2012 e será retomado no dia 16 de agosto.
Todos os títulos de quilombos no país podem ser anulados. O futuro das comunidades está em perigo. Novas titulações não serão possíveis sem o decreto. Mais de 6 mil comunidades ainda aguardam o reconhecimento de seu direito.
As comunidades quilombolas são parte da nossa história, do nosso presente e também do nosso futuro.
Assine a petição e diga ao STF que não aceite a ação do Partido Democratas! Junte-se à luta dos quilombolas pelo seu direito constitucional à terra.
O Brasil é quilombola! Nenhum quilombo a menos!
Para assinar esta petição, clique aqui.

TEMER MANDOU JBS ENTREGAR R$ 3 MILHÕES A CUNHA EM DINHEIRO VIVO

TASSO JOGA A TOALHA E DEVOLVE O PSDB A AÉCIO

ZANIN: SENTENÇA DE MORO RECONHECE QUE LULA NÃO TEM POSSE DO TRÍPLEX