terça-feira, 31 de outubro de 2017

A direita pode estar construindo a vitória de Lula no 1° turno

lulacomiciobh
Reparem o que aconteceu nos últimos dias, depois que passaram a apresentar a pesquisa Ibope como “Lula e Jair Bolsonaro vão disputar 2° turno”.
Os demais candidatos praticamente desapareceram do noticiário.
Lula, ao contrário, precisa ser “desaparecido”, como fazem com as imagens de sua caravana, como esta, ontem à noite, em Belo Horizonte.
A estratégia da “marquetagem jornalística” para não dizer, simplesmente, que Lula é o favorito na disputa presidencial acaba antecipando um “2° turno” na cabeça do eleitor, inclusive e principalmente naqueles que, mesmo com restrições a Lula, passam a admitir votar nele diante da brutalidade bolsonarista.
Ajudam, assim, a atenuar a rejeição que eles próprios construíram com seus três anos de bombardeio pesado.
Pode, sim, produzir o mesmo efeito na cabeça dos que desenvolveram ódio ao petista, levando alguma água ao quase indeglutível  Bolsonaro,  candidato do partido…qual mesmo?
O resultado é um estreitamento do espaço de outras candidaturas. E, portanto, reduzindo o “bolo” que vai se somar ao segundo colocado para – com os números de hoje, tentar somar mais votos que Lula e levar a uma segunda rodada eleitoral.
Ou alguém tem dúvida de que Bolsonaro constituiu-se numa barreira à expansão de João Doria? Ou que funciona também como uma rolha a bloquear a intenção da invenção Luciano Huck? Ou que mesmo para o desanimado Alckmin tira votos – sobretudo em São Paulo – que sempre pertenceram aos tucanos sempre que eles conseguiram abarcar a direita sob suas asas?
Aí está a razão pela qual Lula não radicalizará sua campanha.Radicalizam por ele, construindo contra ele uma “solução” que, ou será judicial ou será com um candidato policialesco.
Repulsiva, portanto, aos sentimentos democráticos que sobrevivem na maioria da população.

SENADO VOTA PROPOSTA QUE PODE MUDAR REGRAS PARA UBER E OUTROS APLICATIVOS

INSCRIÇÕES ATÉ 5/11-Processo seletivo 2018: IFSP oferta aproximadamente seis mil vagas em cursos técnicos


    O IFSP divulgou edital do processo seletivo para os cursos técnicos do 1º semestre de 2018. Estão sendo ofertadas vagas para cursos integrados, concomitantes e subsequentes ao ensino médio em 35 câmpus do Instituto. Inscreva-se aqui.
    • Publicado: Segunda, 02 de Outubro de 2017, 19h36
    • Última atualização em Quinta, 26 de Outubro de 2017, 16h29

    Assim como ocorreu no 2º semestre de 2017, a seleção será feita por meio de análise de histórico escolar, ou seja, não haverá prova. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas de 9 de outubro a 5 de novembro no site do IFSP.
    Para se inscrever, os interessados deverão criar um cadastro no Portal do Candidato e, na sequência, preencher o formulário eletrônico de inscrição e o questionário socioeconômico. Todo o processo de criação de cadastro e preenchimento eletrônico da inscrição está detalhado no item 4 do edital. É importante ressaltar que o candidato deverá anexar o seu histórico escolar ou documento correspondente no momento da inscrição.
    A previsão é que a relação preliminar das inscrições seja divulgada no dia 28 de novembro. A relação final deve sair no dia 20 de dezembro.
    Todas as 5.942 vagas disponíveis, com seus respectivos períodos e câmpus de oferta, assim como os pré-requisitos específicos para cada curso, constam no anexo III do edital.

    Inscreva-se aqui.
    Integrados, concomitantes e subsequentes - Os cursos técnicos integrados ao Ensino Médio são aqueles em que o estudante cursa o Ensino Médio e o Técnico no IFSP, devendo, obrigatoriamente, ter concluído o Ensino Fundamental. Já os Cursos Técnicos Concomitantes ao Ensino Médio são aqueles em que o estudante cursa apenas o Ensino Técnico no IFSP, devendo, obrigatoriamente, estar matriculado no Ensino Médio. Nos cursos técnicos subsequentes ao Ensino Médio, o estudante cursa apenas o Ensino Técnico no IFSP, devendo, obrigatoriamente, ter concluído o Ensino Médio.
    Nome social – Em consonância com a Portaria IFSP N°2.102, de 13 de maio de 2014, o Instituto assegura ao candidato transgênero o direito de ser tratado pelo gênero e pelo nome social durante a realização do processo seletivo. Para tanto, deverá entregar, na secretaria do câmpus ofertante do curso para o qual se inscreveu, dentro do prazo de inscrição, o formulário constante no anexo V.
    Clique no link:

    DORIA TIRA BRUNO COVAS DO COMANDO DA ZELADORIA

    Marisa Misael: Esclarecimento sobre o jantar dos professores

    Marisa MisaelAdministrador do grupo  o evento não foi organizado pela prefeitura. Foi organizado pela APESR onde foi amplamente divulgado e convidado todos professores e funcionários que quisessem participar. Foi postado nos grupos de face e WhatsApp. Inclusive postado no grupo de WhatsApp das auxiliares pela Angélica C. Silvéstre. É o segundo ano que organizamos um momento de CONFRATERNIZAÇÃO. As cobranças Sergioe Rute Moreschi são constantemente feitas por ofícios, reuniões, e até postagens no face. Era um evento particular aberto ao público para COMEMORAR a arte de ensinar, de conduzir a criança a um futuro. 
    Apesr Subsede Sr.., está a disposição para buscar junto a comunidade a melhora do ensino público municipal, a tão sonhada valorização profissional e o reconhecimento dos professores.
    O prefeito ( Claudio José de Góes) esteve , presente como a Comissão Permanente do Legislativo ( Vereador TocoJulio MarianoAlexandre Pierroni) diretor de Educação( Jose Weber ), bem como o vereador (GutoIssa). Na oportunidade quando discursou dizendo que o ano que vem será melhor, ouviu nos que somos educadores que temos a missão de sermos indicadores e continuaremos lutando pela educação de qualidade e valorização profissional. 
    Aproveito marca los no comentário para que possam atender sua reivindicação sobre as escolas, que vem sendo constantemente apontada por nós.
    Esclareço que os 80 presentes, foi um número significativo. No primeiro que organizamos houveram 150, mas este ano caiu dois jantares no mesmo dia. Vale lembrar que este evento não tem nada haver com prefeitura. É uma ação nossa que quisemos não deixar passar em branco nosso dia e cada um de nós pagamos para estar ali juntos. Gostaríamos de contar com todos vocês no próximo ano.
    Fica o Convite. O evento tem organização particular que convida toda comunidade docente e apoiado para confraternizar juntos!
    Só organizamos e todos nós pagamos para desfrutar este momento onde queremos que cada vez mais pessoas participem.
    Não é Fabiana Ferreira GonçalvesElisabete RodriguesEriana Conti GonçalvesLuciana HuhnSandra NogueiraValdenice CorreaAurinha RamalhoFaby SilvaVi MesquitaSolange GodinhoAmabile Pannellini, e demais professores e auxiliares da diretoria da APESR?
    Bora participar 2018?
    Juntos somos mais!
    👬👫👭👫👬
    Bom dia!!!

    ÀS VÉSPERAS DE ESCOLHA DA NOVA DIREÇÃO, PSDB IMPLODE COM GUERRA INTERNA

    segunda-feira, 30 de outubro de 2017

    Movimento se reúne com prefeitura para discutir abertura da Casa da Mulher Brasileira

    SÃO PAULO

    Ativistas pedem ainda presença da Guarda Civil Metropolitana para proteger equipamento público destinado ao atendimento às mulheres em situação de violência
    por Redação RBA publicado 30/10/2017 15h31, última modificação 30/10/2017 15h54
    REPRODUÇÃO/MARCHA MUNDIAL DAS MULHERES
    casa da mulher brasileira.jpg
    Ativistas afirmam que o local já está pronto desde novembro; prefeitura alega falta de energia, esgoto e água
    São Paulo – O Movimento de Mulheres de São Paulo desocupou na manhã desta segunda-feira (30) a sede da Casa da Mulher Brasileira, na região central da capital paulista. Após a desocupação, ativistas caminharam rumo à prefeitura para se reunir com representantes do governo João Doria (PSDB) e entregar um manifesto pela abertura imediata do prédio.
    A reunião teve a presença da coordenadora municipal de Políticas para as Mulheres, Gislaine Caresia, e do secretario de Relações Governamentais, Milton Flávio. De acordo com a gestão municipal, há um entrave do governo federal com o Banco do Brasil, o que impossibilitaria a abertura do local. 
    As ativistas que ocuparam a Casa afirmam que o local já está pronto desde novembro, porém, a coordenadora municipal disse que o prédio ainda não tem luz, rede de esgoto e água. Para Sônia Coelho, da Marcha Mundial das Mulheres, não há uma resposta contundente da gestão municipal, e ela avalia que existe "falta de empenho" da prefeitura. "Esses problemas que você colocou são obstáculos, mas para uma casa de R$ 14 milhões não são os maiores problemas. Falta empenho", criticou.
    Já Vera Machado, também integrante do movimento, criticou a falta de segurança no local, que está abandonado. "O tempo está passando e temos mais problemas com a Casa. Ela está desabitada, sem segurança, a população local diz que é ocupada por usuários de drogas que roubam a Casa. Agora, não temos esgoto nem fiação", lamentou.
    O secretário de Relações Governamentais de Doria atribuiu o problema ao governo passado. "A questão do roubo ocorreu na gestão anterior. Todas as obras não acabadas estão sendo roubadas. A gestão Haddad iniciou uma série de obras, e muito do que foi feito está sendo levado embora", disse.
    Ele diz ainda que a prefeitura não teria obrigação de cuidar do terreno, já que ainda está sob responsabilidade do governo Temer. "(Enquanto não finalizá-la) Essa obra é federal. Eu não votei no Temer, nem na Dilma. Em tese, essa responsabilidade não é minha", pontua.
    As ativistas pediram que a prefeitura coloque a Guarda Civil Metropolitana (GCM) para cuidar do local. O Movimento de Mulheres de São Paulo, a prefeitura e a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres devem se reunir nesta terça-feira (31) para tentar um consenso sobre o assunto.

    BRASIL REGISTRA MAIOR NÚMERO DE HOMICÍDIOS DA HISTÓRIA EM 2016